PUBLICIDADE
Topo

Esporte

D'Alessandro diz que vaia foi injusta e pede calma no Inter: "Sem crise"

Meia se irritou com vaias da torcida depois da derrota diante do Ceará, neste sábado - Ricardo Rimoli/AGIF
Meia se irritou com vaias da torcida depois da derrota diante do Ceará, neste sábado Imagem: Ricardo Rimoli/AGIF

28/10/2017 21h22

D'Alessandro explicou a reação que teve ao ouvir vaias depois da derrota para o Ceará, neste sábado (28), no Beira-Rio. De acordo com o meia, a cobrança ao público foi pela ideia de que o time não merecia o apupo. Mesmo com o revés, que adiou o acesso virtual à elite, o argentino lembrou a campanha do clube na Série B e a postura dos jogadores para combater o barulho.

Líder do vestiário e ídolo da torcida, D'Ale ainda disse que a atitude não pode deflagrar um clima de crise entre time e torcida.

"Eu não vou contar o que eu disse, sai de cabeça quente. Mas cobrei o torcedor, achei a vaia injusta. O jogo não foi dos melhores, enfrentamos um time que veio para jogar de igual para igual, complicou a nossa maneira de jogar. Marcou muito bem, aproveitou o espaço. Estava desenhado para um empate… Infelizmente tomamos um gol e foi difícil reverter. Eu cobro o torcedor como sou cobrado. Estou de cabeça quente como eles também. Vou explicar porque vão falar muita coisa. Não é marketing, não fiz para aparecer. Não preciso fazer isso. Faço para defender meu grupo, por ser um dos líderes junto com Danilo, Edenilson, Damião, Uendel. Eu precisava defender o grupo da vaia. Achei injusta", afirmou o meia na zona mista do estádio.

Mais adiante, na entrevista, D'Alessandro explicou o motivo pelo qual parou e atendeu os repórteres. De acordo com o jogador, as palavras iriam ajudar a explicar e a evitar um clima de crise ou de conflito por conta do episódio ainda no gramado.

"O que quero dizer é que não tem crise aqui. Somos líderes, o que a história nos toca viver é a Série B. Eles (torcedores) não podem ligar para outras coisas, outro campeonato. Tem que se ligar aqui. O Inter tem que subir, estamos perto e precisamos deles. O momento não era para vaia, essa é minha opinião. Respeito o torcedor, sempre que errei pedi desculpas. Hoje não peço desculpas por achar que o grupo não merecia as vaias", reiterou.

Além das vaias, D'Alessandro também não gostou da atitude de alguns torcedores na arquibancada. Segundo o camisa 10, houve gestos indicando reclamação pelo salário dele, um dos mais elevados do elenco.

"A minha reação foi por sentir que o grupo não merecia. Achei que o torcedor podia ter poupado o time pelo esforço, dedicação. E não concordo quando falam em dinheiro. Isso não tem nada a ver com o futebol. E sei que vem de comentários da semana… Muitos comentários. Quando se critica o D'Alessandro sempre se fala em dinheiro. Tem gente que não consegue superar isso. Alguns, alguns fizeram. Mas o que quero falar é que não tem crise. E que queremos decidir o acesso o quanto antes", afirmou.

O Internacional volta a campo na sexta-feira, outra vez no estádio Beira-Rio, diante do CRB. Caso tivesse vencido o Ceará, o Colorado até poderia celebrar o acesso matemático em casa. Nesa partida. Agora, terá de ganhar do time alagoano e pode carimbar o passaporte contra o Luverdense, no interior do Mato Grosso, daqui três rodadas.

Esporte