PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Jejum não tira planos de artilharia de Pottker: "O futebol é imprevisível"

William Pottker ainda mira artilharia do Campeonato Brasileiro da Série B - Ricardo Duarte/Internacional
William Pottker ainda mira artilharia do Campeonato Brasileiro da Série B Imagem: Ricardo Duarte/Internacional

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

25/10/2017 12h08

William Pottker está em jejum. Goleador do Inter na Série B, o atacante não marca há mais de um mês. Mas a falta de gols não tira os planos de artilharia até o fim do campeonato, mesmo que isso seja menos importante do que os objetivos coletivos.

Atualmente o goleador da Série B é Marquinhos, do Oeste-SP, com 15 gols. Depois vem Henan, do Figueirense, com 12, Jonathas Beluso, que deixou o Londrina com 11 gols, empatado com Thiago Marques, do Juventude. Bergson, do Paysandu, e Alan, do Vila Nova-GO, com 10, e Renatinho, do Paraná, e Silvinho, do Ciricúma, com nove.  Pottker tem oito. 

"Eu tenho que ser realista. São muitos gols de diferença. Ano passado quando disputei a artilharia com grandes jogadores eu estava mais próximo. Hoje a distância é grande. Mas o futebol é imprevisível. Pode acontecer de fazer três em um jogo. Não penso nisso, mas em a gente subir, ser campeão, fazer parte desta história", afirmou.

O último gol marcado por Pottker foi em 16 de setembro, na vitória por 3 a 0 contra o Figueirense. Desde então vieram jogos contra Náutico, América-MG, Santa Cruz, Brasil de Pelotas, Boa Esporte e Criciúma, em branco.

"Eu acredito que todo funcionário quando faz o seu trabalho bem feito fica tranquilo e quer mais. Eu venho fazendo meu trabalho bem feito. Mas quero mais, que é fazer gol. Cheguei onde cheguei fazendo gols. Então eu sinto uma falta de fazer gols, mas eu sinto que estou fazendo minha parte ajudando o conjunto. Por isso chego em casa com a consciência limpa. Fiz minha parte pro grupo. Sinto falta de fazer gols, mas quando dou assistência, crio jogada, fico também feliz", afirmou.

Mas a ideia é a fase mudar. Quando isso acontecer, os gols devem voltar a acontecer naturalmente.

"Eu tive muitas chances de gol, contra o Santa Cruz, chutei, o goleiro pegou, são fases. Vamos viver fases boas e ruins. Já vi atacante chutar de canela e a bola entrar. Quando a fase mudar, naturalmente vai sair. Quando tiver mais tranquilidade para fazer gols a fase vai mudar", finalizou.

A próxima chance será diante do Ceará, no sábado, as 17h30 (de Brasília), no Beira-Rio.

Esporte