PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Contagem regressiva? Inter não quer que proximidade com Série A atrapalhe

Guto Ferreira não quer que tranquilidade por boa fase atrapalhe os jogadores - Ricardo Duarte/Inter
Guto Ferreira não quer que tranquilidade por boa fase atrapalhe os jogadores Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

19/09/2017 04h00

Faltam 18 pontos para subir de divisão. Seis vitórias separam o Inter do regresso à elite do futebol brasileiro, segundo a média obtida pelos times que conquistaram tal feito desde 2006, quando a Série B adotou tal formato. E em vez de estabelecer uma contagem regressiva, o Colorado faz de tudo para que a proximidade não atrapalhe de alguma forma.

Seis vitórias em 14 rodadas não é objetivo nada impossível, basta 42% de aproveitamento. É igualar a campanha do Paysandu, 14º colocado, que possui este número de ganho de pontos.

O número é estabelecido pela média de pontos conquistados pelo quarto colocado da competição desde 2006. Por isso, serve de balizador para a campanha do Internacional. É necessário atingir 63 pontos para ficar tranquilo.

E sobram motivos para crer. Com sete vitórias nos últimos oito jogos, o time de Guto Ferreira ainda tem no calendário sete partidas como mandante. Encarará no Beira-Rio América-MG, Santa Cruz-PE, Brasil de Pelotas, Ceará, CRB, Vila Nova-GO e Guarani.Fora os rivais serão: Náutico, Paraná, Boa Esporte, Criciúma, Luverdense, Oeste e Goiás.

De acordo com a mesma média, em levantamento feito pelo UOL Esporte, para ser campeão faltam 30 pontos. A média é alta: 75 pontos conquistados. Neste cenário seria necessário 70% de aproveitamento, ou 10 vitórias em 14 jogos. 

Mas a aparente facilidade gera cuidados. O Internacional trabalha nos bastidores para que ninguém pense em contagem regressiva ou que o Inter 'já subiu'.

"Não estamos em contagem regressiva. Evidentemente que cada rodada que passa, a cada vitória que temos, nos levam mais próximo ao nosso objetivo. A ansiedade temos desde o início do campoenato. Ela aumentou quando o resultado e rendimento não apareceram, quando vivemos instabilidade. Agora até está um pouco menor. Temos mais tranquilidade para trabalhar, mas isso não quer dizer que estamos menos atentos", disse o vice de futebol Roberto Melo.

O técnico Guto Ferreira junta-se ao discurso da direção. Para ele, é necessário pensar individualmente em cada partida e ignorar qualquer projeção.

"Continuamos pensando jogo a jogo. Temos que seguir trabalhando jogo a jogo, pés no chão e muito respeito aos adversários sejam quais forem. E buscar crescimento e resultado. A medida que vamos conseguindo vencer mais e mais, logicamente ficamos mais perto. Mas não podemos pensar lá na frente, só nos próximos três pontos", afirmou.

O Inter volta a campo no sábado para encarar o Náutico. O jogo será fora de casa, às 16h30 (de Brasília).

Esporte