PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Nenê pede desculpas para a torcida do São Paulo: "Eu mesmo me vaiaria"

Nenê pediu desculpas para a torcida pelo pênalti perdido no empate por 0 a 0 com o Sport - Ale Cabral/AGIF
Nenê pediu desculpas para a torcida pelo pênalti perdido no empate por 0 a 0 com o Sport Imagem: Ale Cabral/AGIF

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

26/11/2018 23h53

Nem o próprio Nenê ficou satisfeito com o seu desempenho na partida desta segunda-feira (26), no Morumbi. O camisa 10 do São Paulo perdeu algumas oportunidades para fazer o gol no 0 a 0 com o Sport, sendo a principal um pênalti desperdiçado no segundo tempo. O jogador deixou o gramado bastante vaiado, mas compreendeu as críticas do público.

"Eu mesmo me vaiaria, eu acho. Foi ridículo o pênalti que eu bati. Sei que são coisas do futebol, que isso acontece. Erra quem está ali. Não era o momento e nem a ocasião. Tentei virar o pé e acabou não dando tempo. Quando vi, o goleiro estava caindo para aquele lado. Estou me sentindo muito mal. Entendo totalmente e peço desculpas ao torcedor são-paulino. Eu sou o cara que está mais chateado com isso, sou o cara que mais queria ter feito o gol e ajudado os meus companheiros", discursou o armador, que tentou explicar a cobrança.

"Eu olho o goleiro e quando ele cai, eu tento dar do outro lado. A hora que olhei, a hora que eu fui bater na bola, vi que ele estava caindo e no último segundo acabei errando a batida. Foi o pior pênalti que já bati na minha carreira", completou.

Com o empate sem gols, o São Paulo precisa torcer por um tropeço do Grêmio na última rodada do Brasileirão para ainda poder sonhar com o G4 e a consequente classificação para a fase de grupos da Copa Libertadores.

"Pode acontecer. Sempre acontecem essas coisas. Infelizmente, é difícil. Realmente estou me sentindo bem chateado com isso. Tenho que pedir desculpas à torcida. Não sei nem o que falar porque estou meio pensando: ‘pô, não é possível! Como isso foi acontecer?’. Estou me sentindo mal e assumo a responsabilidade. O empate veio também por eu ter errado esse pênalti", afirmou Nenê, que recebeu o apoio do técnico André Jardine.

"Ele falou que estava comigo, que faz parte. Ele me abraçou, bateu palma. Só tenho que agradecer a ele e a todos os meus companheiros que me deram essa força."

Siga o UOL Esporte no

Esporte