PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Vice do Atlético-MG dispara contra árbitro e CBF: "No mínimo estranho"

Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em Belo Horizonte

24/11/2018 22h43

Lásaro Cândido Cunha, vice-presidente do Atlético-MG, disparou contra Leandro Pedro Vuaden (RS) por conta do apito na derrota por 3 a 2 para o Santos, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro. O dirigente diz que o Galo "foi operado" e, em tom irônico, vê a atuação do juiz "bastante estranha". A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) também foi alvo do dirigente.

Indignado com o árbitro, o cartola convocou um pronunciamento ao fim do jogo deste sábado (24) e disparou contra o responsável pelo apito.

"Inicialmente, a gente quer esclarecer que o Santos ganhou. Parabéns ao Santos. A gente achou a arbitragem um pouco estranha, para dizer o mínimo. Outro dia, tivemos um pênalti para o Palmeiras no Independência e, no jogo seguinte, em lance igual, o juiz não deu. Ele deu quatro minutos de acréscimo no primeiro tempo, com várias jogadas estranhas. Ele não deu faltas fortes em nossos atletas, deu cinco minutos, com as substituições demorando ao menos 40 segundos. Há um pênalti claro que ele também não deu. Ele estava estranho", declarou.

"Há uma somatória. O que não vamos aceitar é ser operados. O senhor Vuaden, ou melhora os seus critérios, ou ele tem que passar por uma reciclagem, não vamos aceitar. Quem assistiu a esse final de jogo ficou com vergonha do que estava acontecendo, os jogadores do Santos fizeram cera deliberada. O jogador que foi expulso gastou quase um minuto para sair de campo e não recebeu qualquer reprimenda. Não vamos mandar para a CBF, porque ela não vai resolver nada. Mas a CBF precisa ficar sabendo que tem que melhorar a arbitragem. Não é árbitro de vídeo que vai resolver essa incompetência, na pior das hipóteses", acrescentou.

Lásaro Cândido Cunha não foi o único a se manifestar de forma contrária com a arbitragem. O técnico Levir Culpi também demonstrou indignação pela atuação de Leandro Pedro Vuaden.

"Empatamos com o Palmeiras um jogo que jamais foi marcado um pênalti a nosso favor daquele jeito. Eu não entendo o critério que está acontecendo. Nossa equipe não é uma beleza, não é o melhor time do campeonato, mas é a mais prejudicada do campeonato. Os critérios estão muito complicados. Eu não consigo entender o porquê as jogadas para a gente não são pênaltis e as jogadas contra são. Por que marcam contra e não marcam a favor? Não sei. Eu posso mostrar para a CBF as jogadas. Não vamos exigir que o juiz não dê um pênalti que não tenha sido pênalti, mas que pelo menos seja uma arbitragem honesta. Vamos jogar com a nossa honra, vamos com a torcida para sair com a vitória e essa vitória pode nos conduzir para uma ótima temporada no ano que vem", comentou.

Esporte