PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Felipão defende Deyverson e culpa árbitro por confusão no final do jogo

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

30/09/2018 14h23

O técnico Luiz Felipe Scolari evitou culpar o atacante Deyverson pela confusão entre jogadores de Palmeiras e Cruzeiro no final da partida deste domingo (30), no Pacaembu, vencida pelo alviverde por 3 a 1. Para o treinador, o problema maior não foi as embaixadinhas e "firulas" do centroavante já nos minutos finais, que os cruzeirenses entenderam como provocação, e sim a má atuação do árbitro Dewson Fernando Freitas, que não marcou faltas no palmeirense na sequência dos lances.

"Um jogador meu fazendo gracinha? Tu tens uma falta que não é dada, uma situação em que o juiz não apita, então quem começa a confusão não é o jogador. Ele (Deyverson) já foi advertido, nós já falamos, passa a ser uma situação em que os árbitros entendem que isso é menosprezo. Mas se tu driblas e recebe a falta, tem que dar a falta e acabou o assunto. O resto do comando, aqui dentro, a gente tem que assumir o erro. Mas lá dentro de campo, o árbitro também tem que olhar que, quando acontece uma falta, tem que ser dada", disse Felipão.

Essa não é a primeira vez que Deyverson tem comportamentos polêmicos em campo. O atacante, que vive excelente fase e deu um passe espetacular no lance que gerou o pênalti do terceiro gol palmeirense neste domingo, também tem sido cobrado por atitudes vistas no próprio Palmeiras como exageradas. Provocação de adversários e simulações são alguns exemplos de posturas que Felipão ainda tenta ajustar no camisa 16.

O treinador palmeirense também elogiou a equipe do Cruzeiro e comemorou a liderança do Campeonato Brasileiro, que pode ser confirmada após os jogos de São Paulo e Internacional às 16h deste domingo. Felipão admitiu que estará na frente da televisão para "secar" os concorrentes diretos.

"Sabes bem disso, que temos que fazer a nossa parte, mas a gente assiste aos jogos dos adversários, e uma que entrar lá a gente fica: 'opa, beleza'. É assim, é normal. Hoje à tarde, claro, quando estiverem jogando nossos adversários que estão junto conosco, a gente vai torcer para o concorrente, é normal. Mas não adianta os outros ganharem e tu não fazeres a tua parte, então a gente vai torcer, sim, mas temos que fazer a nossa".

Esporte