PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Clima quente entre Palmeiras e Cruzeiro gera confusão entre seguranças

Reprodução
Imagem: Reprodução

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

30/09/2018 13h30

O clima quente entre jogadores do Palmeiras e do Cruzeiro, que tem como origem o duelo semifinal da Copa do Brasil encerrado na última quarta-feira, teve continuidade neste domingo (30) com uma confusão no túnel que dá acesso aos vestiários do Pacaembu após a vitória do Palmeiras por 3 a 1 pelo Campeonato Brasileiro.

Ao término do jogo, segurança dos dois clubes iniciaram um empurra-empurra depois de provocações. A Polícia Militar (PM) precisou intervir para conter a confusão, que foi rapidamente desfeita.

Segundo o diretor de futebol do Cruzeiro, Marcelo Djian, a confusão será registrada na delegacia e teve início com um segurança palmeirense. A equipe paulista disse que não vai se manifestar por enquanto.

"Sobre o ocorrido, estávamos saindo do camarote e estávamos no meio do corredor quando veio um segurança do Palmeiras dizendo que não poderíamos descer naquela hora e que tinha que esperar a torcida sair. E ele começou a falar um monte de coisa. Nisso, os torcedores viram, começaram a ofender mais ainda, mas não aconteceu nada. Então, descemos a arquibancada e quando chegamos aqui, ele (segurança) chamou o supervisor de segurança do Palmeiras. O supervisor veio e, de repente, esse segurança que estava nos acompanhando, chutou o Hugão, e houve um empurra-empurra. Infelizmente, aconteceu tudo isso, tivemos que fechar a porta e depois vieram todos os outros seguranças do Palmeiras. Vamos agora à delegacia fazer um boletim de ocorrência. Isso tudo foi por causa de um segurança despreparado, foi isso que ocorreu", disse Marcelo Djian.

O jogo marcou o reencontro entre Palmeiras e Cruzeiro apenas quatro dias de os mineiros eliminarem os paulistas da Copa do Brasil, em jogo que terminou em briga. Sassá deu um soco na cara de Mayke, enquanto Diogo Barbosa agrediu Léo após o duelo no Mineirão. O discurso dos dois times desde então vinha sendo de apaziguar os ânimos e não levar problemas para o jogo deste domingo.

De fato, o clima entre os jogadores estava tranquilo até a reta final da partida, quando Deyverson começou a ter atitudes em campo que foram interpretadas como provocação pelos cruzeirenses. Ele passou o pé por cima da bola em uma jogada no canto do campo e mais tarde fez embaixadinhas, causando um princípio de confusão.

Esporte