PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Jair Ventura vê melhor jogo do Corinthians como visitante e lamenta empate

Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em São Paulo

29/09/2018 22h01

O técnico Jair Ventura saiu bastante satisfeito com o rendimento do Corinthians no empate por 0 a 0 com o América-MG, neste sábado, no Independência, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo fora de casa, a equipe paulista teve 60% de posse de bola e deu 15 finalizações. A alegria do treinador só não foi completa por um motivo óbvio: a bola não entrou.

"Foi nosso melhor primeiro tempo no ano em termos de números. Parecia que estávamos jogando em casa. Pelo número de finalizações, pelos mais de seiscentos passes trocados... Mas infelizmente não fizemos gol. Saio feliz pelo desempenho e triste pelo resultado. Sofremos pouco e criamos muito. Foi nosso melhor jogo em termos de criação fora de casa", comentou.

Jair ainda listou os fatores que poderiam comprometer o rendimento corintiano na capital mineira. "A gente veio de um desgaste grande, de uma decisão e da classificação (contra o Flamengo, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil). Tivemos cinco, seis jogadores exaustos, e quatro deles não vieram. Tivemos em campo seis meninos com menos de 23 anos. E o Cássio fez uma, duas defesas no jogo. Não podemos apagar isso", destacou, citando os desfalques de Fagner, lesionado, e dos poupados Danilo Avelar, Douglas e Jadson.

O técnico também viu o jogo contra o América de forma positiva por ter conseguido testar variações e novidades na equipe, como a mudança de posicionamento de Pedrinho, a presença de Araos no time titular e a estreia do paraguaio Díaz, que entrou no segundo tempo. "Vi coisas boas. É como eu digo: tem que trocar o pneu com o carro andando. Agora eu começo a conhecer melhor o grupo, vendo os treinos e os jogos", afirmou Jair, que soma seis jogos à frente do Corinthians, com duas vitórias, três empates e uma derrota.

O comandante alvinegro disse ainda que espera ver a equipe brigando na parte de cima da tabela do Brasileiro, apesar da divisão de foco com a final da Copa do Brasil, contra o Cruzeiro. Neste momento, o Corinthians está a sete pontos tanto do G-6 como da zona do rebaixamento. "É preciso conciliar e ter resultados, até porque treinador que não tem resultado perde o emprego", afirmou Jair, ciente de que a equipe pode crescer de rendimento.

"Se você perguntar para os jogadores, eles falam que sou como pai. Mas também cobro muito. Tem muita coisa para melhorar e eles provaram que podem me dar mais. Quando olhamos no GPS o número de sprints que eles deram contra o Flamengo, mais que o dobro que o adversário... Vi do que eles são capazes e também que posso cobrá-los. Mas não posso deixar de parabenizar pela evolução", concluiu.

Esporte