PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Mano critica arbitragem, mas minimiza discussão com Marcelo: "é do jogo"

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

26/08/2018 11h00

Na vitória do Cruzeiro por 2 a 1 contra o Fluminense, o clima esquentou em alguns momentos. Primeiro com Dedé e Ibañez dentro de campo. Fora dele, o técnico Mano Menezes protagonizou uma discussão com Marcelo Oliveira. No segundo tempo da partida, o técnico do Flu questionou as reclamações do comandante adversário: "você só quer para você", disse Marcelo, enquanto o treinador celeste respondeu com "agora eles têm pressa". Após o jogo, Mano minimizou o assunto.

"Depois que fizemos o gol, o Marcelo quis acelerar o jogo, pedindo ao gandula. Aí eu disse para ele pedir ao goleiro dele que caísse. Foi exatamente o que eu falei, mas são coisas do jogo. Sei que nem é do estilo dele mandar o goleiro cair. Dentro do respeito que temos um pelo outro, eu quero ganhar pelo Cruzeiro, assim como ele quer ganhar pelo Fluminense", disse.

Curiosamente, na partida contra o Flu, Mano igualou Marcelo Oliveira neste duelo contra o Fluminense. Agora com 169 jogos pelo Cruzeiro, ambos ocupam o nono lugar na lista de treinadores que mais comandaram o time em toda a história.

Apesar de 'aliviar' para Marcelo Oliveira, Mano não deixou de criticar a arbitragem e os jogadores do Fluminense, que, para ele, fizeram cera enquanto a partida estava igualada.

"Minha reclamação com a arbitragem é uma só. Podem pegar os jogos do Maracanã (no primeiro turno) e o daqui. O goleiro do Fluminense tomou 20 minutos nos dois jogos. Pode fazer as paradas, as caídas que aconteceram lá e as daqui quando ainda estava 1 a 1. Mas não acho justo que nós tenhamos que pagar essa conta nos acréscimos. O quarto árbitro disse que é do futebol, mas aí nós estamos favorecendo quem cai. O futebol tem uma regra 18 que se chama bom senso. Tem que saber entender de futebol, saber um monte de coisa que vai além da regra fria do jogo. Precisa entender de futebol para apitar, eu acho que teve dificuldade para entender", disse o treinador, criticando também a postura do árbitro Rafael Traci, do Paraná, que terminou a partida aos 50 minutos.

Esporte