PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Róger Guedes explica atraso para o segundo tempo: "não vou deixar de rezar"

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

07/06/2018 23h35

O Atlético-MG começou o segundo tempo do triunfo por 3 a 1 sobre o América-MG, no Independência, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro, com apenas nove jogadores dentro de campo. Os atacantes Róger Guedes e Ricardo Oliveira se atrasaram no vestiário e só retornaram após o primeiro ataque do América. E o motivo foi inusitado.

Após a partida o atacante Róger Guedes explicou o que aconteceu. O camisa 23 do Atlético precisou de um tempinho a mais no vestiário, já que fez um rápido tratamento no joelho, teve de trocar o calção e ainda foi rezar.

“Estava trocando calção e depois estava rezando. O juiz foi mais rápido. Eu não ia deixar de rezar para poder entrar em campo. Isso faz parte do futebol, mas se toma um gol no primeiro lance ia cair tudo para cima da gente, mas deu tudo certo”, explicou Róger Guedes em entrevista ao canal Sportv.

O fato é que a situação que causou a expulsão do técnico Thiago Larghi, que reclamou bastante da decisão do árbitro Bráulio da Silva Machado, por ter iniciado o segundo tempo com dois jogadores do Galo fora do gramado. Pela regra o árbitro não errou, já que é preciso ter sete jogadores no mínimo de cada equipe. Como Galo tinha nove em campo, o jogo reiniciou de forma correta.

Thiago Larghi aproveitou a coletiva para se desculpar com o juiz, ao saber que a reclamação não tinha fundamento. Apesar do pedido de desculpas do treinador atleticano, ele não vai poder ficar no banco de reservas contra o Fluminense, neste domingo, às 16h, mais uma vez no Independência. O técnico interino do Galo vai ter de cumprir a suspensão automática.

Esporte