PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Carille admite Corinthians em queda, mas perde paciência com perguntas

Do UOL, em São Paulo

29/10/2017 19h35

Tradicionalmente calmo em suas entrevistas coletivas, Fabio Carille deu mostras de irritação após a derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta neste domingo (29), no Moisés Lucarelli. Se o Palmeiras vencer nesta segunda, a diferença entre líder e vice-líder ficará em três pontos.

Nas respostas deste domingo após o jogo, o comandante chegou a admitir que a equipe estava caindo de rendimento, mas se irritou com uma pergunta sobre jogadores pilhados.

“O que é jogador pilhado?”, iniciou Carille. “No jogo de hoje, isso não existiu. Não é nem falar que discordo da sua opinião, é que ela está errada mesmo. Você não pegou a minha coletiva inteira, mas da próxima vez você precisa ver o jogo para fazer perguntas”, respondeu.

Antes disso, Carille também já havia demonstrado certa irritação ao responder questionamentos sobre a queda de produção de seus jogadores.

“Se vocês prestarem atenção na minha coletiva... Vocês ficam batendo na tecla de Rodriguinho e Jadson... No jogo de hoje não, mas eu já tenho falado disso (queda de rendimento). Eu tenho falado de vários jogadores, de vários. Você fala de quem você quiser, mas eu falo do grupo de um modo geral”.

Na mesma entrevista, Carille foi questionado sobre o entusiasmo do início do Brasileirão ter virado uma verdadeira pressão. O técnico interrompeu a pergunta para responder.

“Desculpa, eu discordo de você. Meu ano ainda está sendo maravilhoso. Se os resultados não são positivos.... Eu não posso reclamar do meu primeiro ano como profissional, eu tenho que agradecer e continuar trabalhando. A gente precisa melhorar, estamos tristes pelo momento, mas estou feliz pelo meu ano”.

Apesar de deixar a sua irritação bem clara, Carille disse que o segredo será não perder a cabeça e que confia na reação de sua equipe contra o Palmeiras, no próximo domingo (5).

“Nunca vi alguém perder a cabeça e ter resultados. A gente precisa ter equilíbrio. Se o técnico perder a cabeça e os jogadores perceberem, as coisas podem ficar ainda pior”.

Esporte