PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Corinthians e São Paulo monitoram Zeca após o pedido de rescisão do Santos

Zeca pediu a rescisão do Santos e entrou na mira de Corinthians, Palmeiras e São Paulo - Ale Cabral/AGIF
Zeca pediu a rescisão do Santos e entrou na mira de Corinthians, Palmeiras e São Paulo Imagem: Ale Cabral/AGIF

Danilo Lavieri, Diego Salgado, José Eduardo Martins e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo e Santos

27/10/2017 16h12

O pedido de rescisão contratual de Zeca ao Santos chamou a atenção dos três grandes clubes da capital paulista. Coincidentemente, Corinthians, Palmeiras e São Paulo precisam de laterais para 2018. Por isso, é natural que os diretores comecem a olhar com carinho o desenrolar da situação do atleta, que entrou na Justiça para pedir o desligamento contratual com o Alvinegro praiano.

O trio nega ter feito qualquer proposta, o Palmeiras diz não ter nem interesse na contratação e o estafe do jogador também considera cedo para abrir qualquer conversa sem que a rescisão seja assinada. Já o Santos acredita que o ala tenha alguma negociação encaminhada - o que teria motivado ele a entrar na Justiça.

Corinthians

O clube vive uma indefinição em relação à lateral esquerda na temporada 2018. As chances de Guilherme Arana deixar o clube são enormes e dificilmente ele não será negociado com alguma equipe da Europa. O reserva imediato é Moisés, que não foi bem nos jogos em que atuou na atual temporada.

Além disso, o reserva pode ser envolvido na negociação com o meia Zé Rafael, do Bahia. Neste cenário, a contratação de Zeca seria extremamente bem-vinda no Parque São Jorge. Nesta sexta-feira, o gerente de futebol, Alessandro Nunes, admitiu que há interesse pelo atleta.

"Impossível dizer que não [tem interesse]. Atleta como o Zeca de potencial, altíssimo nível. Eu não posso jamais ignorar um atleta importante, mas respeitamos o compromisso dele com o Santos. Mas jamais posso ignorar um atleta tão competente como o Zeca futuramente no Corinthians", disse Alessandro em entrevista à ESPN.

Palmeiras

O Palmeiras busca um lateral esquerdo para 2018. A equipe tem Zé Roberto, que vai se aposentar, e Egídio, que só tem contrato até dezembro e pode não renovar. Por causa dessa carência, a equipe teve seu nome citado como possível destino para Zeca, mas a diretoria nega qualquer interesse.

Para a próxima temporada, já é certo que o Alviverde receberá o retorno de Victor Luís, que é formado nas categorias de base e está emprestado ao Botafogo.

O Palmeiras diz tratar como natural que todos os nomes que estejam no mercado sejam vinculados ao clube por causa do alto poder de investimento. A diretoria tem feito questão de ressaltar que não tem nenhum envolvimento com a saída de Zeca do Santos.

Recentemente, o Palmeiras de Mattos fez negócios com jogadores que deixaram o clube após ações na Justiça: Arouca, do Santos, Lucas, hoje no Fluminense, e o hoje corintiano Gabriel, que inclusive pertence ao mesmo grupo de empresários de Zeca, fecharam acordos com o Alviverde após ficarem livres.

São Paulo

Apesar de ainda não ter ido ao mercado para começar a formar o seu elenco de 2018, o São Paulo vê a contratação de laterais como uma de suas prioridades. O clube conta hoje com Buffarini e Bruno, na direita, e Edimar e Júnior Tavares, na esquerda. Destes, Tavares é o único que deve permanecer no Morumbi, enquanto Reinaldo, emprestado à Chapecoense, pode voltar.

Também conta a favor da contratação do jogador a excelente relação do técnico Dorival Júnior com o atleta. Sem muito espaço na Vila Belmiro, foi cogitada até uma negociação do lateral com o Columbus Crew, dos Estados Unidos, em 2015. Então treinador do Santos, Dorival, fez questão de contar com Zeca em sua equipe. Com ele como técnico, o lateral viveu o seu melhor momento na carreira e chegou até a ser convocado para a seleção brasileira campeã olímpica.

Quando ficou sabendo do pedido de rescisão, Dorival e o São Paulo passaram a analisar a possibilidade com carinho. Segundo apurou a reportagem, é lógico que o treinador e o clube gostariam de contar com o atleta e se mostraram dispostos a acompanhar o caso bem de perto. Porém, o Tricolor não fez qualquer proposta. Até mesmo pela situação conturbada que vive no Campeonato Brasileiro, o São Paulo quer acabar com qualquer risco de rebaixamento para focar no mercado.

Santos

O clube paulista foi notificado nesta quinta-feira (26) da ação e informou que o pedido do atleta foi negado pelo juiz, mas o jogador não foi treinar nesta semana e não deve prosseguir no clube. Na ação, Zeca alega que o Santos atrasou pagamentos de seu FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e diz também que não se sentiu apoiado pelo Santos no episódio em que torcedores tentaram agredir a ele e ao meia Lucas Lima, na semana passada, no desembarque do elenco após partida contra o Sport em Recife.

Segundo dirigentes do Santos, o FGTS e os salários dos jogadores estão em dia. Zeca não apareceu para treinar nos últimos dois dias. Após o elenco receber folga do técnico Levir Culpi na segunda-feira (23) e na terça (24), o jogador faltou às atividades de quarta (25) e quinta (26). O clube afirmou que o atleta foi liberado para resolver problemas pessoais na quarta, mas não soube explicar o motivo de sua ausência no dia seguinte.

A diretoria santista foi avisada de que o jogador está em Londrina, no Paraná. O lateral esquerdo de 23 anos tem contrato com o Santos até 31 de dezembro de 2020. Revelado na própria Vila Belmiro, Zeca já defendeu o time alvinegro em 141 jogos e marcou quatro gols.

Esporte