PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Presidente do Grêmio elogia atuação de Heber após entrevista polêmica

Romildo Bolzan Jr. (foto) comentou frase polêmica sobre Heber Roberto Lopes - Lucas Uebel/Divulgação Grêmio
Romildo Bolzan Jr. (foto) comentou frase polêmica sobre Heber Roberto Lopes Imagem: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Do UOL, em Porto Alegre

19/10/2017 00h36

Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio, elogiou a atuação de Heber Roberto Lopes durante o jogo diante do Corinthians. O dirigente ainda evitou confirmar textualmente a frase polêmica reproduzida pelo site da “ESPN” ao comentar a escala de arbitragem para o duelo da 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

“O Heber foi excepcionalmente bem. Bem. Ele foi discreto e teve bom diagnóstico e isso é que serve para arbitragem. Mas as situações de antes nos faziam alegar dúvidas e suspeições”, disse o presidente do clube gaúcho.

Bolzan Jr. citou dois jogos do Grêmio, em 2010 e 2015, para justificar a preocupação com a arbitragem de Heber Roberto Lopes.

O presidente ainda tratou como conversa privada o diálogo que acabou reproduzido na matéria que gerou polêmica antes do jogo desta quarta-feira (18), em São Paulo.

“O episódio que saiu na imprensa foi episódio cujo limite era a manifestação de preocupação. Esse era o escopo, esse era o balizador. Todo o demais foi em um ambiente privado, uma conversa nossa. Alias, quero pedir desculpa ao jornalista. Por não me fazer entender ou colocar a matéria no seu devido lugar. Meu objeto era alertar o histórico. Graças a Deus, e espero que não tenha sido por isso, o Heber teve uma jornada correta. Eu não teria nenhum motivo para publicizar situações deprecitativas, difamatórias ou de qualquer ordem a essa pessoa que sequer conheço. É uma figura pública e sendo assim, posso fazer comentários dentro dos limites”, comentou Romildo Bolzan Jr.

Questionado se os termos divulgados foram realmente usados, o presidente do Grêmio tergiversou. Não negou e nem confirmou e preferiu apenas dizer que não irá revelar o teor do diálogo com o jornalista.

“Eu não vou publicizar nada disso, não fazia parte do contexto e da matéria. Essa parte fica rigorosamente na privacidade. Não estou admitindo nada. Se disse, no contexto que disse, foi pelo sorteio. E por que isso: ele não vinha de uma trajetória com bons jogos. Ao contrário, era uma trajetória inexpressiva até. E eu fiquei muito receoso e fiz o comentário. E o meu limite é esse, não tenho o direito a publicizar algo que é privado. Se alguém está errado sou eu que não me fiz entender suficientemente ao jornalista”, apontou.

Esporte