PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Grêmio muda o tom e ainda vê chance de brigar pelo título do Brasileiro

Lucas Uebel/Divulgação
Imagem: Lucas Uebel/Divulgação

Do UOL, em Porto Alegre

19/10/2017 04h00

O Grêmio, que havia jogado a toalha uma semana atrás, depois de perder para o Cruzeiro em casa, agora mudou o discurso. Mesmo com o empate diante do Corinthians, o Tricolor gaúcho faz força para dizer que segue na briga pelo título do Campeonato Brasileiro.

Renato Gaúcho não puxou a fila, mas fez coro à visão do elenco. “A gente não abriu mão do campeonato em nenhum momento e nem vamos abrir. Tem muita água para rolar ainda”, sentenciou Geromel logo depois do apito final em Itaquera.

Apesar da resiliência do zagueiro, o Grêmio se manteve nove pontos atrás do Corinthians. E agora tem uma rodada a menos para tirar a diferença, com nove jogos pela frente.

“O campeonato está definido? Não. Faltam nove rodadas, 27 pontos, falta muita coisa. Não vamos desligar, vamos continuar olhando para o Brasileiro. Só que tem uma partida importante na quarta-feira que vem. O único que pode ser muito prejudicado é o Grêmio, o único brasileiro na Libertadores. A gente tem uma viagem longa, um adversário poderoso. Temos o Palmeiras, Santos... São equipes que estão brigando pelo título e, principalmente, pela vaga direta à Libertadores”, disse Renato Portaluppi em coletiva.

O movimento de se colocar publicamente na briga pelo título é mais forte entre os jogadores, mas é inegável que o foco principal é na Copa Libertadores, onde o time pega o Barcelona-EQU na semifinal.

“Tem 27 pontos em disputa, é muita coisa. Então a gente segue na briga. Enquanto houver chance, vamos disputar. São muitos pontos em jogo”, opinou Kannemann. “Ainda dá, né? Não acabou o campeonato, temos como tirar a diferença. Mas vai ser complicado, o time deles é muito bom. Perto da Libertadores o Renato decide o que fazer, é com ele”, afirmou Luan.

Antes do jogo com o Corinthians, o Grêmio já havia definido: irá preservar titulares desgastados diante do Palmeiras, domingo. Ou seja, se tivesse vencido e reduzido para seis pontos à diferença em relação ao líder, daria outra brecha para ver a distância aumentar.

No discurso o Grêmio recolheu a toalha. Mas na prática a Libertadores segue sendo prioridade total e absoluta na Arena.

Esporte