PUBLICIDADE
Topo

Esporte

O jogo dos 5 erros no duelo do Atlético-PR contra o Vitória

Nikão, expulso contra o São Paulo: sem ele, nada de pontos para o Atlético - Ale Cabral/AGIF
Nikão, expulso contra o São Paulo: sem ele, nada de pontos para o Atlético Imagem: Ale Cabral/AGIF

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

18/10/2017 17h00

Nos últimos oito jogos, uma vitória e a realidade bateu à porta: a Zona de Rebaixamento está há apenas três pontos do Atlético Paranaense, que visita o pior mandante da competição nesta rodada. O Vitória só venceu dois de seus 14 jogos em Salvador. Mesmo assim, pelo que faz fora de casa, pode ultrapassar o próprio Atlético na rodada, se vencer.

Por isso, é bom ficar de olho no jogo dos 5 erros do Furacão contra o Nêgo para a partida desta quinta-feira (19), às 20h no Barradão.

1 – Sem Nikão, nenhum ponto somado

É isso mesmo: todos os pontos conquistados pelo Atlético contaram com Nikão em campo. Nas nove vitórias da equipe e também nos oito empates, o meia-atacante estava atuando. Expulso contra o São Paulo, o jogador desfalca o Furacão em Salvador. “Não vamos poder usá-lo, o que infelizmente é uma constante desde que eu cheguei, entre lesões e problemas. Mas não vamos ficar chorando a ausência do Nikão, temos grandes jogadores aqui e quem jogar vai jogar bem”, disse o técnico Fabiano Soares, que ainda estudava entre Felipe Gedoz, Sidcley ou Lucas Fernandes para a vaga: “Temos alternativas boas em quantidade e qualidade”

2 – Ex-visitante incômodo...

Até a 21ª rodada, o Atlético era um visitante chato, com mais vitórias que empates ou derrotas longe de Curitiba, na 3ª posição desse ranking específico; três derrotas e um empate depois, já não assusta tanto os mandantes. Soares identificou o problema da seguinte maneira: “Quando não ganha é sempre ruim né? O Atlético vem jogando bem, o que está faltando é um pouco mais de experiência de saber competir. Querer manter o resultado e não querer fazer três, quatro gols. Parar a sangria de gols que temos levado. Acho que temos que todos dar um pouco mais de atenção.

3 - ...contra mandante quase inofensivo

Se há um fator que anima os atleticanos é o desempenho do Vitória em casa: dois triunfos em 14 jogos – empatou outros três. Nove equipes saíram de Salvador felizes. Muito por conta da maneira em que o Leão baiano tem atuado, no erro do adversário e com dificuldades em propor o jogo. O técnico atleticano garantiu ter estudado o time de Vagner Mancini, ex-técnico do próprio Furacão em sua melhor campanha no Brasileirão na década: terceiro em 2013. “Ele mudou a maneira de jogar, são agressivos, é um futebol de ataque. Está subindo de produção, anda muito bem. É uma equipe que está diferente hoje em dia. E nós temos que ser o Atlético, uma equipe que joga bem.”

4 – 14 escalações diferentes em 14 jogos

Acredite: em nenhum jogo dos 14 em que comandou o Atlético no Brasileirão, o técnico Fabiano Soares repetiu a escalação. Foram 14 formações iniciais diferentes, tanto após vitórias quanto após derrotas. “Eu tenho claro quem deve jogar. Às vezes por cartões ou por lesões não podem jogar, mas se estão aqui, é por que podem jogar”, argumentou o treinador. Porém, em várias ocasiões a opção de mudança partiu da gestão da equipe, como quando entrou com Ederson no empate com o Grêmio em Porto Alegre e o substituiu para a derrota para o Flamengo no Rio, dois jogos em que o 11 inicial teve apenas essa única alteração.

5 – Segredo mal guardado

Soares tem se mostrado descontente com os questionamentos sobre a influência do DIF e da EXOS em seu trabalho, ainda que não negue o método. “Devo satisfações a quem me contratou”, rebateu após uma pergunta. Recentemente, o UOL Esporte abriu a caixa-preta do CT do Caju com testemunhos de quem vive ou viveu o método de rodízio na escalação do clube, como o atacante Grafite, o que descontentou muita gente no Atlético. O jogador, hoje no Santa Cruz, se queixou da falta de entrosamento por conta das constantes mudanças. Soares disfarçou sobre o tema: “Mas acho que não é por isso que a equipe está deixando de ganhar.”

VITÓRIA X ATLÉTICO-PR

Data: 19 de Outubro de 2017, quinta-feira
Horário: 20h (de Brasília)
Motivo: 29ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Barradão, em Salvador (BA)

Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)

VITÓRIA:
Caíque (Fernando Miguel); Caíque Sá, Ramon, Wallace Reis e Juninho; Fillipe Soutto, Uiliam Correia e Yago; Neilton, David e Trelléz
Técnico: Vagner Mancini.

ATLÉTICO-PR:
Weverton; Jonathan, Wanderson, Thiago Heleno e Fabrício; Esteban Pavez, Lucho González e Guilherme; Felipe Gedoz, Sidcley (Lucas Fernandes) e Ribamar (Douglas Coutinho).
Técnico: Fabiano Soares.

Esporte