PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Com 2 de Henrique Dourado, Flu bate o Atlético-MG e cola no G-6

Rogério Micale, técnico do Atlético-MG, no estádio do Maracanã em jogo contra o Fluminense - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Rogério Micale, técnico do Atlético-MG, no estádio do Maracanã em jogo contra o Fluminense
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, em Belo Horizonte

21/08/2017 21h51

O Fluminense reencontrou Fred, nesta noite, no Maracanã. Mas nada de saudades, o momento é de Henrique Dourado. O atual dono da camisa 9 tricolor marcou duas vezes, ambas de cabeça, e foi o nome do jogo na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-MG, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Maracanã.

Com o resultado, o Fluminense chegou aos 30 pontos, mesma pontuação do Cruzeiro, o sexto colocado. O Tricolor colou no G-6, mas segue fora por causa dos critérios de desempate. Já o Atlético segue patinando, agora distante quatro pontos da zona de classificação à Copa Libertadores.

Henrique Dourado supera melhor marca da carreira

Com os dois gols diante do Atlético, Henrique Dourado atingiu uma meta traçada no começo de 2017 e superou sua melhor temporada. O centroavante chegou a 26 gols, superando 2014. Naquele ano foram sete gols pela Portuguesa e 18 gols pelo Palmeiras. Além disso, Henrique Dourado se isola como o artilheiro do Campeonato Brasileiro. São 12 gols na competição, um a mais do que Jô, que tem 11 gols.

Victor manteve o Atlético no jogo

O primeiro tempo do Atlético foi muito ruim. Não fosse o goleiro Victor, o Fluminense poderia ir para o intervalo com um resultado muito melhor do que o 1 a 0. O camisa 1 do Galo fez quatro boas defesas, em tentativas de Marlon Freitas, Lucas e duas de Gustavo Scarpa. Graças à boa atuação do goleiro o Atlético teve condições de voltar no segundo tempo e buscar o empate. No fim, o camisa 1 não conseguiu evitar o segundo gol de Henrique Dourado.

Roger Bernardo vai muito mal e jogo apenas um tempo

Foi apenas a quinta partida de Roger Bernardo pelo Atlético. Após ir muito bem no clássico do primeiro turno contra o Cruzeiro, o volante ficou muito tempo sem jogar. Voltou apenas na derrota para o Grêmio, quando o Atlético jogou apenas com reservas. Com dois titulares suspensos, Roger Bernardo recebeu nova chance e não foi muito bem. O camisa 85 não conseguiu marcar os meias do Fluminense e também foi mal no lance do gol marcado por Henrique Dourado. Atuação ruim e apenas 45 minutos em campo. Foi substituído por Valdívia e sequer voltou após o intervalo.

No banco, Fred vira um segundo treinador

Como Fred está retornando ao time após ficar afastado por causa de uma lesão na panturrilha direita, o centroavante ficou no banco de reservas contra o Fluminense. Foi uma opção da comissão técnica para o centroavante ganhar mais tempo na preparação para ser importante para o time na brigar por uma vaga na Copa Libertadores. Sem poder ajudar dentro de campo, Fred tentou fazer o possível lá do banco de reservas. Sempre conversando com o técnico Rogério Micale e orientando os companheiros que estavam em campo.

Fred entra debaixo de vaias e gritos de “Henrique”

Aos 25 minutos do segundo tempo, o centroavante entrou no lugar de Rafael Moura. Apesar de ser um dos maiores goleadores da história do Fluminense, clube que defendeu entre 2009 e 2016, Fred foi bastante vaiado pelos torcedores presentes no Maracanã, pela maneira como trocou o clube tricolor pelo Atlético. Foram pouco mais de 20 minutos em campo, com uma participação discreta. Fred foi protagonista apenas quando fez falta no goleiro Júlio César e recebeu o cartão amarelo. Atitude que tira o camisa 9 do jogo com a Ponte Preta.

Maracanã vazio dá prejuízo para o Fluminense

Maracanã não recebeu um grande público para Fluminense x Atlético-MG - Leo Burlá/UOL Esporte - Leo Burlá/UOL Esporte
Maracanã não recebeu um grande público para Fluminense x Atlético-MG
Imagem: Leo Burlá/UOL Esporte

Após conseguir reduzir os custos para jogar no Maracanã, a diretoria do Fluminense optou em levar para o estádio todos os jogos que o time fizer como mandante até o final da temporada. No entanto, mesmo com custos reduzidos, o clube precisa da presença de público para não ter prejuízo. Não foi o caso do jogo com o Atlético-MG. Foram pouco mais de 9 mil pagantes, muito abaixo dos 20 mil, o necessário para o Fluminense evitar prejuízo nos jogos disputados no Maracanã.

Abel repete o time pela primeira vez em 2017

Somente em agosto o técnico Abel Braga conseguiu o feito de repetir a escalação de uma partida para outra. Para o duelo com o Galo, o time inicial foi o mesmo que do empate sem gols com o Santos, na rodada anterior. Abel até brincou com o fato. “Eu tomei um susto quando vi que não poderia mexer em nada, se não me engano, o banco é o mesmo do último jogo. Espero que já que isso aconteceu, podemos ter um rendimento melhor que contra o Santos”, disse o treinador do Fluminense, antes de a bola rolar.

Atlético-MG foi melhor com Valdívia, mas não para vencer

Como jogou muito mal na etapa inicial, sendo bastante pressionado pelo Fluminense, o segundo tempo do Atlético foi melhor. A entrada de Valdívia fez bem ao time, que passou a criar chances na frente e chegou com perigo. O camisa 20 fez seu primeiro gol pelo clube, após troca de passes com Cazares. Valdívia ainda acertou o travessão, no que seria o gol da virada. Apesar de uma atuação melhor na etapa final, faltou força ao Galo para conseguir o segundo gol. Quem aproveitou foi o Fluminense, numa das poucas vezes que chegou na área atleticana no segundo tempo.

Micale volta ao Maracanã e é expulso por reclamação

Um dia após completar um ano da conquista do ouro olímpico no futebol, no Jogos Rio-2016, o técnico Rogério Micale voltou ao estádio pela primeira vez. Treinador da seleção brasileiro no ano passado, agora ele está no comando do Atlético. E o retorno ao Maracanã não vai ser de boas lembranças para o treinador atleticano, que foi expulso no intervalo e assistiu dos camarotes o segundo tempo e a derrota da sua equipe.

 

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 2 X 1 ATLÉTICO-MG

Data: 21 de agosto de 2017, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Motivo: 21ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Público:  9.248 pagantes
Renda: R$ 237.240,00
Árbitro: Vinicius Goncalves Dias Araujo (SP)
Auxiliares: Rogerio Pablos Zanardo (SP) e Herman Brumel Vani (SP)
Cartões amarelos: Wendel (FLU) Luan e Fred (CAM)
Gols: Henrique Dourado aos 37 minutos do primeiro tempo; Valdívia aos 1 e Henrique Dourado aos 42 minutos do segundo tempo

FLUMINENSE
Júlio César, Lucas (Matheus Alessandro, aos 28 do 2º), Renato Chaves, Henrique e Léo; Orejuela, Marlon Freitas (Marcos Júnior, aos 29 do 2º), Wendel e Scarpa; Wellington Silva (Peu, aos 41 do 2º) e Henrique Dourado.
Técnico: Abel Braga.

ATLÉTICO-MG
Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Bremer e Fábio Santos; Roger Bernardo (Valdívia, no intervalo), Yago, Elias e Cazares (Robinho, aos 41 do 2º); Luan e Rafael Moura (Fred, aos 25 do 2º).
Técnico: Rogério Micale.

Esporte