PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Mancini nega "receita" para bater o Corinthians e deixa coletiva irritado

Do UOL, em São Paulo

19/08/2017 19h04

O Vitória fez neste sábado (19) o que nenhuma outra equipe tinha conseguido em um turno inteiro do Campeonato Brasileiro: vencer o líder Corinthians, por 1 a 0. O técnico Vagner Mancini exaltou o equilíbrio do Leão e o estudo pré-jogo, mas deixou a entrevista coletiva bastante irritado com uma pergunta.

"Não sei se há uma receita [para bater o líder], mas acima de tudo você tem que estar extremamente equilibrado em campo e estudar o Corinthians", entende o treinador, dando como exemplo o lance mais importante da partida. "Nós fizemos um gol em um lance que foi muito estudado por nós: recuperação de bola e saída no contra-ataque. Viemos com a intenção de armar só por fora, porque o Corinthians tem dois volantes fortes por dentro."

O Vitória abriu o placar cedo, aos 12 minutos, o que acabou fazendo do primeiro tempo um exercício de ataque corintiano contra a defesa rubro-negra. Até o intervalo o time de Vagner Mancini foi sitiado pelo Corinthians, mas não cedeu à pressão. Depois melhorou, soube jogar sem a bola e ainda assustar nos contra-ataques para segurar o líder.

Foi o diagnóstico deste duelo de forças que deixou o treinador irritado. Corria tudo muito bem até a última pergunta, quando Mancini perdeu a paciência ao ser confrontado pela visão de um jornalista (confira a discussão abaixo). A entrevista virou argumentação, e os próprios dados de posse de bola foram deturpados "Tudo bem, o Corinthians teve 80% de posse de bola, mas só duas chances de gol; o Vitória teve só 20% e quatro chances", respondeu Mancini, com base nas estatísticas apresentadas por seu interlocutor. Os números, na verdade, foram de 65% a 35%.

"Você está sendo parcial. Eu vou encerrar a coletiva agora porque você precisa rever seus conceitos de futebol. Vocês têm que dar um pouquinho mais de valor para quem não é de São Paulo. A imprensa de São Paulo tem que olhar um pouquinho mais para outros estados, porque o Brasil é muito grande", disparou o treinador antes de deixar a sala de imprensa da Arena.

Esporte