PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Carrasco dos paranaenses, Kayke pressiona R. Oliveira com mais gols em 2017

Kayke marcou quatro dos cinco gols do Santos em Curitiba nesta temporada - REUTERS/Rodolfo Buhrer
Kayke marcou quatro dos cinco gols do Santos em Curitiba nesta temporada Imagem: REUTERS/Rodolfo Buhrer

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

19/08/2017 04h00

O atacante Kayke está ansioso para ganhar uma oportunidade na equipe titular do Santos que enfrenta o Coritiba, neste domingo, às 19h (de Brasília), no Couto Pereira, em jogo válido pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. O centroavante, que iniciou sua carreira no Paraná Clube, tem brilhado quando atua em Curitiba neste ano.

Kayke marcou quatro dos cinco gols do Santos em território paranaense nesta temporada. Em 11 de junho marcou os dois gols na vitória santista por 2 a 0 contra o Atlético-PR, pela sexta rodada do Brasileirão.

Em 5 de julho marcou dois dos três gols do Santos na vitória por 3 a 2 novamente contra o Atlético-PR, pelo primeiro jogo das oitavas de final da Libertadores. O outro gol foi marcado por Bruno Henrique.

Levir reconhece os números de Kayke em Curitiba e, por isso, não descarta escalar o centroavante na vaga de Ricardo Oliveira. O capitão santista, de 37 anos, tem sua vaga ameaçada. Além dos bons números contra o Atlético-PR, Kayke ainda supera o seu concorrente em média de gols nesta temporada.

Kayke atuou em 32 partidas do Santos no ano e marcou nove gols, média de 0,28. Já Ricardo Oliveira jogou 23 jogos e fez cinco gols, média de 0,21.

"Os números não enganam O Kayke tem bom aproveitamento lá (Curitiba), são números bem legais. Não dou a escalação por motivos óbvios. Ninguém quer passar a escalação para o próximo jogo. Esse é um trabalho para vocês descobrirem. Mas não vai mudar muito”, disse Levir.                       

Kayke chegou a ser bancado como titular logo no início da chegada de Levir Culpi ao Santos. O treinador fez questão de dizer em entrevista coletiva que a “vaga era dele”. Mas o jogador sofreu um edema muscular na coxa esquerda, que coincidiu com o retorno de Ricardo Oliveira aos gramados.

Após se recuperar de lesão no tornozelo e pneumonia, Oliveira voltou e assumiu a posição ao lado de Copete e Bruno Henrique no ataque. Mesmo assim, os números atuais dele não o garantem como titular. Com Levir Culpi no comando, o veterano só marcou um gol em seis jogos. 

Esporte