PUBLICIDADE
Topo

Esporte

"Se planejar muito, falar de título, a gente fica louco", afirma Carille

Do UOL, em São Paulo

23/07/2017 18h39

O treinador corintiano Fábio Carille não muda sua postura em relação ao Campeonato Brasileiro: jogo a jogo, sem falar em disputa pelo título e com atenção ao desempenho da equipe e não aos resultados. Neste domingo, depois de vencer o Fluminense por 1 a 0 no Maracanã, o que ocorreu na esteira de dois empates, o comandante do líder manteve a linha. 

"Se planejar muito, falar de título, de quantos pontos faltam, a gente fica louco. Agora o foco é só no Patriotas", declarou sobre o confronto de quarta-feira pela Copa Sul-Americana. 

"Os empates [repercussão] vêm mais de fora que para nós. Me preocupa quando a gente não rende. Jogamos com Atlético e Avaí para ganhar, Douglas [goleiro avaiano] fez ótimas defesas. Não penso em invencibilidade, senão não teria lá tirado Gabriel para colocar Kazim [no jogo em Florianópolis]. Eu saio daqui muito satisfeito com o jogo", comentou o treinador. 

"Tem muito campeonato ainda, o Grêmio pega o São Paulo amanhã, se vencer a diferença volta para seis pontos. Tem ponto demais para ser jogado. Não fico pensando em título, nem lá na frente, penso jogo a jogo. Agora é desligar o chip do Campeonato Brasileiro e pensar no Patriotas, em casa", repetiu Carille. 

Nem mesmo a sequência de 30 jogos sem perder, terceira maior da história do Corinthians, mudou a postura. "A invencibilidade passa bem longe. Não dá para ficar pensando só nisso. Mais do que isso, o que me traz mais satisfação é que são 26 jogos sem tomar gols, de 43 jogos oficiais no ano, é isso? Isso me dá satisfação demais. Sobre invencibilidade, não trago essa responsabilidade a mais. Nunca falei, pode perguntar para qualquer jogador. Acho desnecessário", falou. 

 

O que mais declarou Fábio Carille:

ANÁLISE DA VITÓRIA
O que um técnico e uma comissão técnica buscam é equilíbrio. Hoje fomos equilibrados o tempo todo. Jogamos com bola, nos aproximamos, fizemos triangulações. Jogamos sem bola. Se tivéssemos acertado o último passe poderíamos ter feito mais gols.

PRESSIONADO NO FIM
Jogar fora de casa contra Fluminense, Grêmio, contra equipes desse porte...é normal ser sufocado. No final, ele tirou volantes e botou atacantes, tudo dentro do planejado. Eu também faço isso quando temos um resultado que não favorece, dentro de ideia de jogo e de organização.

ELOGIOS PARA GIOVANNI AUGUSTO
Giovanni foi acima do esperado pelo tempo fora. Ele prendeu a bola, fez triangulações mesmo sem o ritmo de jogo. Fez tudo que havíamos combinado com ele.

SEMPRE REGULAR
Mudam peças e continua a mesma concentração, a mesma organização, mas não tem time invencível. Tem equipes que trabalham muito e sério.

DESGASTE
Sobre a questão da parte física, todas as equipes vão chegar no mesmo nível. Várias competições, jogos quarta e domingo. A questão de desempenho, valorizei demais os dois empates. Depois que você vence um Palmeiras, como foi, é normal que a concentração caia. Esse mesmo Avaí ganhou do Grêmio lá no Sul e hoje do Cruzeiro. O campeonato é difícil, por isso não gosto de planejar muito.

NOVO ZAGUEIRO
Existe a possibilidade sim (de contratar zagueiro). Vimos muito pouco em relação aos que estão fora do Brasil. Estamos olhando mesmo aqui dentro do futebol brasileiro.

Esporte