PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Com gol único de Lucca, Ponte Preta bate o Cruzeiro e cola no G-6

Do UOL, em Belo Horizonte

22/06/2017 21h22

Colados na tabela antes de a rodada começar, Ponte Preta e Cruzeiro se enfrentaram nesta noite de quinta-feira no Moisés Lucarelli. Apesar do jogo de seis pontos, a Raposa entrou em campo com seu praticamente reserva e acabou pagando o preço por isso. Mesmo sem ter feito um jogo para encher os olhos, a Ponte Preta saiu vencedora por 1 a 0.

O único gol da partida foi marcado por Lucca, de pênalti. Este foi o sexto gol do atacante neste Brasileirão e seu 14º na temporada. O resultado deixou a Macaca com 14 pontos, agora bem próximo do G-6, enquanto a Raposa permanece com 11 no meio da tabela.

Quem foi bem: apesar do jogo coletivo aquém do esperado, Emerson Sheik foi um dos poucos que se destacaram na Ponte. Embora não tenha feito muita coisa, o atacante chamou responsabilidade e buscou ações mais ousadas, como a distribuição de canetas (foram três no jogo). Mérito também para Lucca, que continua em boa fase em Campinas e marcou seu quarto gol seguido no estádio.

Quem foi mal: titular na vaga de Ezequiel, Lennon não conseguiu passar confiança no lado direito do Cruzeiro e viveu uma boa bem apagada. Amarelado, o jogador ainda se atrapalhou ao cometer um pênalti bobo em Lucca, que gerou o primeiro gol do jogo. Mal em campo, foi substituído no intervalo.

Desgaste físico 'escala' o Cruzeiro

Para não perder jogadores importantes por causa de lesões, Mano Menezes precisou escalar o Cruzeiro praticamente com seus atletas suplentes. Além de Diogo Barbosa e Ariel Cabral, que sequer viajaram, o treinador ainda deixou Thiago Neves, Alisson, Robinho e Ezequiel no banco.

Pênalti convertido foi a única finalização do primeiro tempo

Por mais de meia hora, nenhum lance de perigo chamou a atenção em Campinas. As equipes pouco movimentaram, erravam mais passes que de costume e protagonizaram um primeiro tempo entediante. A Ponte ficou mais com a bola e buscou os lados para atacar, mas não teve o controle e abusou dos cruzamentos errados. Ineficiente, o Cruzeiro também não produziu e sequer deu um chute à meta de Aranha. Antes do intervalo, a única finalização em direção ao gol saiu após o pênalti de Lennon em cima de Lucca, que bateu e converteu.

Gilson Kleina não viu intensidade que queria

Minutos antes da partida, Gilson Kleina falou da importância de manter a intensidade, equilíbrio e atitude dentro de casa. Porém, nem mesmo a escalação considerada ideal e o time quase todo reserva do Cruzeiro ajudaram. Durante praticamente todo o jogo, a Ponte Preta não apresentou a eficiência que seu comandante queria e fez uma apresentação bem aquém da que era esperada, apesar do resultado positivo.

Das cabines, Mano assiste Cruzeiro fazer pouco para reagir

A opção de poupar quase todos seus titulares não deu certo no primeiro tempo. Sem produzir na etapa inicial, Mano promoveu Sóbis e Sassá em campo e o time começou a finalizar mais. Porém, os problemas na criação das jogadas continuaram e, sem um meio organizador de qualidade, a equipe não conseguiu controlar o meio de campo. Por queimar a regra três antes dos 20 minutos, o treinador ainda viu Rafinha queixar-se de dores na panturrilha e terminar o jogo no sacrifício.

PONTE PRETA x CRUZEIRO

Motivo: 9ª rodada, Brasileirão 2017
Data/Hora: 22/06/2017, às 19h30
Local: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ/Fifa)
Assistentes: Rodrigo Henrique Correa (RJ/Fifa) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)

GOL: Lucca, 36'1ºT (1-0)
Cartões amarelos: Fernando Bob (PON); Lennon, Caicedo (CRU)
Cartão vermelho: Não teve.
Público/Renda: 4.465 pagantes/R$115.475.

Ponte Preta: Aranha, Nino Paraíba, Marllon, Rodrigo e João Lucas; Fernando Bob, Elton e Renato Cajá (Léo Artur - 34'2ºT); Claudinho (Jadson - 13'2ºT), Lucca (Lins - 41'2ºT) e Emerson Sheik. Técnico: Gilson Kleina.

Cruzeiro: Fábio; Lennon (Lucas Romero - Intervalo), Kunty Caicedo, Murilo e Bryan; Hudson e Lucas Silva; Rafinha, Elber, Rafael Marques (Sassá - 15'2ºT); Ramón Ábila (Rafael Sóbis - 17'2ºT). Técnico: Sidnei Lobo (Mano Menezes suspenso).

Esporte