PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Grêmio divide gols e se isola como melhor ataque sendo 'democrático'

Grêmio tem média de 2,6 gols por jogo no Brasileirão, mas sem artilheiro isolado - Ricardo Rimoli/AGIF
Grêmio tem média de 2,6 gols por jogo no Brasileirão, mas sem artilheiro isolado Imagem: Ricardo Rimoli/AGIF

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

21/06/2017 04h00

Fazer gols pelo Grêmio não é mais missão de poucos. Dono do melhor ataque do Brasileirão, o Tricolor divide as incríveis 21 bolas na rede entre nove jogadores. A ‘democratização’ do poder de fogo ajuda a explicar a ideia de jogo do time de Renato Gaúcho e também o momento atual da equipe. Mesmo diante da ausência de dois artilheiros no ano, segue marcando.

Em quase seis meses, o Grêmio já teve três goleadores diferentes. Primeiro foi Miller Bolaños. Depois foi Lucas Barrios e agora é Luan. Bolaños foi superado por Barrios quando se lesionou. E o roteiro se repetiu na nova troca de artilharia. Luan, inclusive, superou a própria marca de toda temporada passada em junho.

Os 13 gols dele, contudo, não diminuem o feito coletivo do Grêmio. No Brasileirão, o camisa 7 balançou as redes quatro vezes. Assim como Everton, Luan é responsável por 19% dos gols do Tricolor no campeonato.

Para efeito de comparação, o segundo melhor ataque do Campeonato Brasileiro tem cenário oposto. Dos 14 gols marcados pelo Corinthians, 29% saíram de Jô. O Fluminense, terceiro no ranking de times mais efetivos, tem 62% das bolas na rede computadas a Henrique Dourado.

No Grêmio, o ‘regime democrático’ engloba todos os setores. Michel e Ramiro representam o meio-campo e acumulam três gols cada um. A defesa aparece na listagem de artilheiros com Edilson, Bruno Cortez e Rafael Thyere.

Diante do Cruzeiro, dois gols foram marcados por volantes que apareceram na área. No jogo com o Bahia, foi um lateral quem decidiu quase em cima da linha após escanteio do lado oposto.

“O Grêmio faz gol de todos os jeitos porque a gente treina. Esse repertório é importante, dificulta muito a marcação do adversário. Não é milagre, é trabalho. Esse grupo é maravilhoso, tem dado orgulho a mim e toda nossa torcida. É um grupo que sabe o que quer, busca os três pontos sempre”, comentou Renato Gaúcho após o empate no Mineirão.

Na quinta-feira, o melhor ataque do Campeonato Brasileiro enfrenta a melhor defesa. O Tricolor recebe o Coritiba, em jogo válido pela nona rodada. E no domingo, o compromisso é diante do Corinthians. Segundo na tabela de melhor ataque e defesa.

Esporte