PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Pouco usado, Denílson tem 2 meses para mostrar serviço e obter renovação

Recuperação física e poucos jogos deixam Denílson com futuro indefinido no Cruzeiro - Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Recuperação física e poucos jogos deixam Denílson com futuro indefinido no Cruzeiro Imagem: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

28/10/2016 06h00

Neste momento, o tempo não é lá um dos maiores aliados do volante Denílson, do Cruzeiro. Contratado no meio de julho, o volante assinou um vínculo com o clube até dezembro. Porém, de lá pra cá, ainda precisou de alguns meses apenas para recuperar sua forma física. Depois disso, só entrou em campo por cinco vezes. Agora, o jogador tem o final do ano para mostrar que merece ficar no clube. Se considerado o calendário oficial de jogos, que termina no dia 4 de dezembro, o prazo diminui para pouco mais de um mês. Por isso, aproveitar cada oportunidade será importante, já que a diretoria ainda não esboçou desejo de permanecer com o atleta.

"Ninguém me chamou para conversar a respeito disso. No momento, na minha cabeça, está que termina meu contrato com o Cruzeiro em dezembro e que eu volto para o meu time em janeiro para terminar o contrato, que acaba em um ano e meio", comentou o volante, em entrevista à Rádio Globo, citando o Al Wahda, seu clube nos Emirados Árabes Unidos que o emprestou ao Cruzeiro.

Para contar com Denílson em seu plantel, o Cruzeiro desembolsou R$ 250 mil no meio do ano. Se quiser ficar com o jogador, os mineiros terão que desembolsar mais 2,5 milhões de dólares (R$ 7,87 milhões na cotação atual). Por isso, uma sequência de jogos pode ser o que o jogador precisa. Titular contra o Vitória, na última rodada do Brasileirão, e diante do Grêmio, pela Copa do Brasil, Denílson tem chances de continuar na equipe, já que o titular Henrique ainda aponta um desgaste muscular e não está liberado.

"Estava há quatro meses parado, fiz só meu segundo jogo como titular. Estou me sentindo bem nos jogos, mas é mais questão dos ritmos mesmo. Mas estou apto, vim aqui para trabalhar, quando precisar de mim, estarei disponível", acrescenta.

Esporte