PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Tite fez força e ajudou a impedir saída de herói do Corinthians em Campinas

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

05/10/2015 14h49

Uma boa parte da torcida corintiana talvez não acreditasse, mas Tite e sua comissão técnica apostaram em Rodriguinho. A retribuição veio no último domingo, no empate por 2 a 2 com a Ponte Preta em Campinas.

Com o pé esquerdo, de fora da área, o meia surpreendeu e anotou um gol que valeu um ponto para o Corinthians no Campeonato Brasileiro. Há um mês, a situação era bastante diferente: o Bahia realizou investida forte para comprar Rodriguinho em definitivo. Pesou, no fim das contas, o desejo do jogador em permanecer.

"A gente não queria que ele saísse e isso foi passado para o atleta que soube esperar seu momento", conta Cléber Xavier, auxiliar técnico de Tite, ao UOL Esporte. "O que a gente fala para cada atleta é de mostrar possibilidades. Ele toma as decisões baseado na família, no ambiente, em perspectivas futuras", explica.

Até a oportunidade em Campinas, Rodriguinho tinha participação praticamente nula na campanha do Corinthians. Reintegrado no meio do ano depois de servir o Al Sharjah-CAT por empréstimo, ele jogou 8 minutos contra o Goiás, 59 minutos diante do Avaí, quando foi titular e decepcionou, e apenas 2 minutos contra o Fluminense. A quarta oportunidade veio quando substituiu Elias aos 20min do segundo tempo, em Campinas.

Nos treinamentos, desde que voltou, Rodriguinho foi preparado para as funções de Jadson, aberto pela direita, Renato Augusto, armador entre o centro e a esquerda, e Elias, armador entre o centro e a direita, mais próximo de Ralf. Na avaliação de Tite, Elias estava com dificuldades contra a Ponte Preta e também tinha cartão amarelo.

De acordo com Cléber, o empenho de Rodriguinho nos treinamentos tem chamado a atenção da comissão técnica. Para um melhor entendimento da função de Elias, a última para a qual ele foi preparado, imagens das atividades também foram mostradas. "No treinamento de véspera dos jogos, quando os titulares ficam à parte, vimos a dedicação do atleta. Víamos ele em um caminho bom, esperando oportunidades".

Uma virtude em especial do jogador, por sinal, foi mostrada justamente no gol contra a Ponte Preta. Rodriguinho é um dos raros ambidestros no Corinthians e marcou, de fora da área, com a perna esquerda. "Fazemos treinos de complemento em finalização, específico naquele setor, e chama a atenção que ele trabalha com os dois pés. Além de ter a qualidade, é um chutador, o que é importante", detalha Cleber.

Conhecido entre os colegas do Corinthians como um jogador bom de grupo, contador de histórias e que não reclama de estar na reserva, Rodriguinho mostrou, enfim, que pode ajudar de outras maneiras. "É mais uma arma que ganhamos para a reta final", resume o auxiliar de Tite.

Esporte