Topo

Esporte


Acordo de cavalheiros veta reencontro de Damião com o Santos no Brasileirão

Damião pertence ao Santos, mas está emprestado ao Cruzeiro até o fim deste ano - Nalu Rosa/Light Press
Damião pertence ao Santos, mas está emprestado ao Cruzeiro até o fim deste ano Imagem: Nalu Rosa/Light Press

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

17/05/2015 06h00

O atacante Leandro Damião não enfrenta o Santos neste domingo, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, em jogo válido pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. No entanto, o camisa 9 está fora do jogo não por questões contratuais. O que tirou o centroavante da partida foi um acordo de cavalheiros entre os dirigentes santistas e cruzeirenses.

O acordo foi realizado verbalmente no dia em que Damião assinou o contrato de empréstimo com o Cruzeiro até dezembro deste ano. Na Vila Belmiro, há dirigentes santistas que temem o não cumprimento da “palavra” dos mineiros.

No entanto, outros integrantes da cúpula alvinegra já foram avisados pela diretoria do Cruzeiro que o acordo será cumprido.

A cláusula para proibir a escalação de Damião não foi colocada porque a Fifa proibiu a opção no mesmo mês da transferência do jogador, em janeiro deste ano. No entanto, a mudança só passou a valer em fevereiro e, por isso, gerou dúvidas em relação à postura do Cruzeiro.

Na sexta-feira, o técnico Marcelo Fernandes ainda não sabia se Leandro Damião seria escalado ou não. Apesar de não deixar saudades na Vila Belmiro, o camisa 9 vive uma grande fase no Cruzeiro.

Aliás, Fernandes não sabe sobre a escalação de Damião e também de nenhum outro jogador do Cruzeiro. O time que Marcelo Oliveira prepara é uma incógnita para o técnico santista.

“Estamos em uma sinuca de bico, não sabemos se vem o time A ou B, eles foram até os pênaltis [contra o São Paulo, na Libertadores], podem deixar alguém de fora. Ele é um grande jogador [Damião], esteve conosco, está atravessando uma fase boa, mas o Cruzeiro é que nos preocupa num todo”, disse Fernandes.

Leandro Damião está emprestado ao Cruzeiro até o fim do ano. O Santos paga metade do salário do jogador, que chegou ao clube paulista no ano passado para receber R$ 700 mil mensais. Se não bastasse, o centroavante trava uma batalha na Justiça contra o alvinegro praiano, solicitando a rescisão contratual por falta de pagamento de salários.

Esporte