PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Brunoro vê falta de respeito de Kardec ao Palmeiras e prega pés no chão

Do UOL, em São Paulo

28/05/2014 12h33

Já se passaram mais de 20 dias desde que Alan Kardec assinou contrato com o São Paulo, mas o assunto continua em pauta no Palmeiras. Ao trocar o alviverde pelo rival, o atacante havia dito que a postura da diretoria palmeirense nas negociações pela sua permanência contribuíram para sua saída. O diretor executivo do clube, José Carlos Brunoro, tem outra versão.

“Houve uma falta de respeito do jogador e seus assessores, pois eles ficaram de voltar a última proposta e eles não retornaram. É mentira o que dizem, que retornaram. Tanto é que recebemos uma carta do Benfica e mandamos uma carta dizendo que cobríamos a proposta para ficar com ele. O contrato dele terminava em 30 de junho e começamos a negociar em abril. Só que ele não respondeu a proposta, pois deve ter recebido uma muito maior”, afirmou, em entrevista à Rede TV.

Após perder o atacante, o Palmeiras está atento à oportunidades de mercado para substituí-lo. O argentino Lucas Pratto, do Velez Sarsfield, da Argentina, é um dos nomes especulados. Brunoro, porém, garante que o clube não fará loucuras financeiras por reforços.

“O Palmeiras hoje tem responsabilidade. Falamos isso sem nos compararmos aos outros. No Brasil, parece que o certo é o errado. Você diz que não vai pagar 700 mil por mês para um jogador, aí eu recebo ligações dizendo ‘dane-se a austeridade’. Se eu assumo o compromisso com o jogador, esse compromisso será respeitado. Essa caixa d’agua, em que sai mais do que entra, queremos equilibrar. Não (faremos loucuras). Só se essas loucuras couberem no bolso”, disse.

Além de evitar gastar em excesso com contratações, o alviverde também pode perder algumas peças: segundo o dirigente, nenhum atleta do elenco atual é inegociável.

“No Palmeiras não existe jogador inegociável. Se chegar uma proposta boa para o jogador e para o clube, a gente vende. Mas não tem nada definido agora”, finalizou.

Esporte