PUBLICIDADE
Topo

Futebol Americano

Torcida mais maluca da NFL pode ver time voltar ao Super Bowl após 27 anos

Ken "Pinto Ron" Johnson tira fotos com os torcedores do lado de fora do Orchard Park, antes do confronto entre Bills e Broncos, na NFL, em 2019 - Bryan M. Bennett/Getty Images
Ken "Pinto Ron" Johnson tira fotos com os torcedores do lado de fora do Orchard Park, antes do confronto entre Bills e Broncos, na NFL, em 2019 Imagem: Bryan M. Bennett/Getty Images

Lucas Tieppo

Colaboração para o UOL, em São Paulo (SP)

22/01/2021 04h00

Resumo da notícia

  • Buffalo Bills fará final da Conferência Americana contra o Kansas City Chiefs
  • Bills não disputam um Super Bowl desde 1993, quando foram derrotados pela 4ª vez seguida
  • Time tem a torcida mais maluca da NFL e vamos provar nesta matéria

O Buffalo Bills é um dos times mais tradicionais da NFL, mas luta há anos para resgatar o protagonismo de décadas passadas. Na ativa desde 1960, a franquia tem uma das torcidas mais fanáticas - e malucas - da liga, a Bills Mafia, e que depois de muitos anos de decepções e frustrações, voltará a disputar uma vaga no Super Bowl.

A década de 1990 serviu para aumentar a fanática torcida, famosa pelos pré-jogos mais malucos de toda a NFL, com churrasco, cerveja, muitas mesas quebradas (já explicamos isso) e até torcedor mergulhado no ketchup, mas também é lembrada pelas quatro derrotas seguidas na final da liga.

Isso mesmo. Os Bills disputaram quatro Super Bowls seguidos entre 1990 e 1993 e perderam todos. A franquia foi superada por New York Giants, Washington Redskins e duas vezes pelo Dallas Cowboys.

Depois de anos no calvário com campanhas negativas, muitas derrotas para os rivais de divisão e uma seca de 17 anos sem chegar aos playoffs, a franquia começou a renascer na temporada 2017. Mas foi na temporada 2020, curiosamente a temporada em que os fãs dos Bills não puderam apoiar o time como de costume, que a equipe conseguiu voltar à final da Conferência Americana depois de 27 anos.

O duelo contra o Kansas City Chiefs, no domingo (24), pode levar os Bills à quinta disputa do Super Bowl. Do outro lado, o atual campeão disputa a terceira final de conferência seguida.

Como aglomerações estão proibidas por causa da pandemia do novo coronavírus, os arredores do Arrowhead Stadium, casa dos Chiefs, não serão ocupados pelos torcedores da equipe visitante como seria em tempos normais. Ainda assim, o estádio já tem recebido público, então os representantes das Bills Mafia marcarão presença.

Torcedor ilustre toma banho de ketchup e mostarda

O torcedor mais ilustre dos Bills é Ken Johnson, mais conhecido como "Pinto Ron". Famoso por marcar presença em todos os jogos dos Bills entre 1994 e 2020, o senhor de 62 anos costuma fazer churrascos e organizar o pré-jogo no capô do seu carro, um Ford Pinto já bem rodado, nos arredores do estádio da equipe.

O apelido veio da junção do modelo do seu carro, usado de suporte para a churrasqueira, com o nome dado de forma errada em uma matéria. Ken virou Ron na notícia e pegou. Ele tem até um perfil no Twitter com mais de 12 mil seguidores:

Há alguns anos, ele foi proibido pela NFL de seguir seu ritual na área sob jurisdição da liga ao organizar shots de bebida em uma bola de boliche, então, atualmente, ele recebe os outros torcedores do time em um terreno privado próximo ao estádio.

Além disso, mantém a inusitada tradição de tomar um banho de ketchup e mostarda. Dezenas de pessoas jogam os condimentos de cima de uma van enquanto Ron aguarda ansiosamente para ficar completamente sujo.

A tradição de Johnson foi interrompida por causa das restrições impostas pela pandemia do coronavírus, mas voltou no começo do ano com a reabertura do estádio da equipe para os jogos dos playoffs. Sem o churrasco e o banho de ketchup para evitar aglomerações.

Mesas sofriam com os torcedores da Bills Mafia


Outra tradição nada comum dos fãs do Buffalo Bills é a prática de se jogar em cima de mesas, da altura que for, e ouvir os amigos celebrando ao ver o objeto quebrado ao meio. É a "Table slamming".

A prática era muito comum no pré-jogo da equipe e pode ser facilmente encontrada nas redes sociais. Porém, ela passou a ser proibida há dois anos com o intuito de diminuir a quantidade de álcool ingerida antes das partidas da franquia.

Quem voltar a quebrar mesas pode ser acusado formalmente de violar as leis e ser expulso do Bills Stadium e arredores.

Bills Mafia não é só bagunça e práticas inusitadas

Mas não pense que os fãs dos Bills são conhecidos apenas pelas festas pré-jogo e práticas nada aconselháveis para um ambiente saudável e seguro. Os torcedores da franquia também se unem em prol de causas sociais.

Após o jogo contra o Baltimore Ravens que garantiu a vaga na final da Conferência Americana, os torcedores decidiram fazer doações à instituição de caridade apoiada por Lamar Jackson, quarterback dos Ravens que deixou o jogo machucado, como forma de agradar o atleta. Foram arrecadados quase 500 mil dólares (R$ 2,6 milhões) em doações.

Em 2018, eles fizeram o mesmo e juntaram 415 mil dólares (R$ 2,2 milhões) para a fundação de Andy Dalton, outro quarterback adversário.

Futebol Americano