PUBLICIDADE
Topo

Futebol Americano

Salário de R$ 93 mi para comentarista gera disputa na transmissão da NFL

Tony Romo ganha cerca de R$ 93 milhões para comentar NFL na CBS - Twitter/Reprodução
Tony Romo ganha cerca de R$ 93 milhões para comentar NFL na CBS Imagem: Twitter/Reprodução

Lucas Tieppo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/11/2020 04h00

A cada ano a NFL quebra barreiras milionárias com as renovações contratuais dos seus astros. E a briga pelos maiores salários chegou agora nas transmissões de TV. Na semana passada, o New York Post revelou uma disputa de bastidores que envolve Tony Romo, ex-quarterback do Dallas Cowboys, e Jim Nantz, narrador da CBS.

Em fevereiro, a CBS, uma das principais redes de televisão dos Estados Unidos, renovou contrato de Romo como comentarista da NFL. Com o novo acordo, o ex-jogador passou a receber US$ 17,5 milhões (cerca de R$ 93 milhões) por ano, o maior valor da história para um comentarista do esporte.

Segundo o New York Post, o valor fez com que os companheiros de Romo na CBS reagissem. Nantz foi o primeiro a pleitear um aumento. Na emissora desde 1985, o narrador de 61 anos costuma trabalhar em transmissões de diversos esportes e modalidades, como basquete universitário e golfe Atualmente o salário dele está na casa dos US$ 6,5 milhões (cerca de R$ 35 milhões) por ano e o contrato se encerra no meio de 2021.

“Nos últimos 30 anos, Jim Nantz se tornou o rosto e a voz da CBS Sports”, disse a agente de Nantz, Sandy Montag, ao Post. Profissionais de outras emissoras, como Fox e NBC, recebem cerca de US$ 10 milhões (cerca de R$ 53 milhões) por ano.

O problema é que a CBS vê a renovação de Romo como caso pontual, já que a ESPN estava de olho para tirá-lo da rival e reforçar sua equipe, algo que conta na disputa pelos direitos de transmissão do Super Bowl. A ESPN hoje não pode transmitir a decisão da NFL nos Estados Unidos.

Tony Romo é hoje o único ex-quarterback no elenco da CBS, o que o torna um ativo valioso e alvo do interesse de outras emissoras, tanto que segundo a imprensa americana recebeu uma proposa de US$ 14 milhões (cerca de R$ 75 milhões) da ESPN no começo do ano.

Dentro de campo, o ex-quarterback nunca disputou um Super Bowl e sofreu muito com lesões. Apesar do posto de titular do time mais valioso da liga, só recebeu mais do que os US$ 17,5 milhões que ganha da CBS em duas temporadas.

Futebol Americano