Topo

Futebol Americano


Kaepernick desafia NFL (de novo), muda treino e se diz pronto para jogar

Colin Kaepernick durante treino em Riverdale, Georgia - Carmen Mandato/Getty Images/AFP
Colin Kaepernick durante treino em Riverdale, Georgia Imagem: Carmen Mandato/Getty Images/AFP

do UOL, em São Paulo

17/11/2019 09h42

Colin Kaepernick mostrou que não está disposto a ceder à NFL. O quarterback desafiou a organização mais uma vez ontem, ao não comparecer ao treino fechado organizado pela NFL e com a presença de dirigentes de algumas equipes para que ele mostrasse que está em forma para voltar a jogar.

Pouco menos de uma hora antes do evento começar, o atleta anunciou que o treino aconteceria na quadra de uma escola em Riverdale, Georgia (EUA), com direito à entrada da imprensa, o que havia sido proibido no treino preparado pela NFL.

O atleta correu, jogou, fez passes e correu durante o treino. Ele ainda atendeu a centenas de fãs que compareceram à Charles Drew High School para assistir ao treino assim que a notícia se espalhou. Na saída, ele deu uma breve declaração aos jornalistas:

"Eu estou pronto há 3 anos, eu estou sendo negligenciado há 3 anos. Todos sabem porque eu vim para cá mostrar isso para todos. Não tenho nada a esconder. Então estamos esperando por 32 dirigentes, 32 equipes, Roger Godell (da NFL), que eles parem de fugir, parem de fugir da verdade, parem de fugir das pessoas".

Kaepernick ainda disse que seu agente, Jeff Nalley, estava pronto para conversar com as equipes. "Eu farei entrevistas com qualquer time, a qualquer hora. Eu estava pronto, estou pronto e vou continuar pronto", completou ele.

Desde o início, o treino fechado proposto pela NFL foi visto com desconfiança pelos representantes do atleta, especialmente por não ser público. Segundo a ESPN norte-americana, a equipe do jogador passou a questionar a legitimidade da decisão e que ela pode ter sido tomada apenas para dar uma resposta ao jogador e aos que pedem mais uma chance a ele.

O jogador agradeceu ao público e à imprensa que esteve no evento. "Nossa maior preocupação foi garantir transparência no que faríamos. Não estávamos tendo isso em outro lugar, por isso viemos para cá. É importante que todos vocês estejam aqui", declarou ele.

Jeff Nalley, agente do atleta, disse á CNN que, além de querer mais transparência, o jogador foi alertado por seus advogados sobre alguns pontos no acordo para o treino fechado e nos quais eles não estariam de acordo.

A NFL divulgou uma nota se dizendo "desapontada" com a decisão de Kaepernick.

Kaepernick x NFL

Kaepernick está sem contrato com qualquer franquia da liga desde março de 2017, quando decidiu encerrar o vínculo com o San Francisco 49ers. A última partida do jogador na NFL foi no dia 1º de janeiro de 2017. Ele liderou a franquia e a levou até o Super Bowl 47, quando acabou derrotada pelos Baltimore Ravens.

O jogador tornou-se um mártir da luta contra a desigualdade racial e a violência policial contra negros nos Estados Unidos. No dia 14 de agosto de 2016, ainda durante a pré-temporada, ele causou comoção e também foi muito criticado depois de decidir escutar sentado ou ajoelhado a execução do hino nacional do país.

Primeiro, ele ouviu o hino sentado. Depois, passou a se ajoelhar, ganhando a companhia de outros jogadores. Porém, a repercussão acabou centralizada principalmente no quarterback. Até mesmo presidente Donald Trump criticou os atos e pediu medidas mais enérgicas das franquias.

Futebol Americano