Topo

Futebol Americano


Técnico dos Patriots troca risadas por títulos e se impõe em dinastia

Bill Belichick, técnico do New England Patriots - Adam Glanzman/Getty Images/AFP
Bill Belichick, técnico do New England Patriots Imagem: Adam Glanzman/Getty Images/AFP

Lucas Tieppo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Bill Belichick, 67 anos, atingiu marca de 300 vitórias na carreira
  • Com fama de mal-humorado, técnico vive hoje desgaste com Tom Brady
  • Belichick planejava se aposentar aos 70, mas dá sinais de que seguirá na ativa
  • Treinador tem 6 títulos pelos Patriots, time do marido de Gisele Bündchen

Seis vezes campeão do Super Bowl como treinador do New England Patriots, outras duas vezes campeão da NFL como coordenador defensivo do New York Giants e terceiro técnico na história da liga a chegar na marca de 300 vitórias na carreira. O currículo de Bill Belichick é impressionante, e o técnico não dá sinais de que o fim da sua carreira essteja próximo.

Belichick e os Patriots entram em campo hoje para enfrentar o Baltimore Ravens pela semana 9 da NFL em busca da manutenção da invencibilidade. Até o momento são oito jogos e oito triunfos.

Na rodada passada, a equipe venceu o Cleveland Browns e o treinador conquistou sua 300ª vitória na liga. Agora, ele está atrás de Don Shula, com 347 triunfos, e George Halas, com 324.

Aos 67 anos e na 20ª temporada como técnico dos Patriots, time do quarterback Tom Brady (marido da modelo brasileira Gisele Bündchen), Belichick não descarta seguir na profissão depois dos 70 anos, idade que ele tinha colocado como limite se aposentar. Se realmente continuar no comando dos Patriots - ou de alguma outra franquia na liga -, o treinador pode ultrapassar Shula em quatro temporadas se mantiver a média de 11 vitórias por campeonato.

Avesso a risadas durantes jogos e, principalmente, entrevistas, Belichick é considerado um dos maiores treinadores da história da NFL. O mau-humor é compensado com vitórias, títulos e a construção de uma dinastia que domina a liga neste século. São nove aparições em Super Bowls e seis títulos desde a temporada 2000, quando assumiu a franquia.

A fama de mal-humorado é tamanha que basta um discreto sorriso para a cena viralizar imediatamente. Foi o que aconteceu na vitória sobre o New York Jets há algumas rodadas.

O estilo durão ao comandar os jogadores, a alta exigência nos treinamentos e a pouca tolerância com quem não anda na linha ou não entrega o esperado também causam problemas de relacionamento. o "wide receiver" Josh Gordon e o "defensive end" Michael Bennett foram cortados recentemente do elenco apesar do talento.

A mídia norte-americana relata que o desgaste entre Belichick e Tom Brady é cada vez maior e esse seria um dos motivos para o quarterback avaliar uma mudança de equipe. O treinador proibiu Alex Guerrero, treinador pessoal do quarterback, de entrar nas instalações do time. O relacionamento com o dono dos Patriots, Robert Kraft, também sofreu abalos, como na troca forçada de Jimmy Garoppolo para o San Francisco 49ers.

Ainda assim, o treinador mantém o respeito de todos na franquia pelos títulos conquistados mesmo que o método de trabalho não seja aprovado. É comum ouvir de analistas que Belichick joga xadrez, enquanto os outros técnicos da liga jogam dama.

É com todo esse histórico de poucas risadas, algumas polêmicas e muitos títulos que o treinador segue em busca de novas vitórias e novas conquistas. Começando pelo duelo contra os Ravens neste domingo.

"Quando eu disse isso (que não treinaria depois dos 70) eu não sabia como é ter 70 anos. Agora que estou perto desta idade, eu não sei", disse Belichick.

Futebol Americano