Topo

Futebol Americano


Jornalista vê sinais de que Brady pode deixar os Patriots; astro despista

Tom Brady sorri após vitória do New England Patriots sobre o New York Giants - Paul Rutherford/USA TODAY Sports
Tom Brady sorri após vitória do New England Patriots sobre o New York Giants Imagem: Paul Rutherford/USA TODAY Sports

Lucas Tieppo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Brady tem vínculo com o New England Patriots até a temporada 2021
  • Contrato, porém, libera Brady para ser agente livre já no ano que vem
  • Jornalista da ESPN levanta sinais de que o astro pode deixar Boston
  • Quem poderia receber Brady com chances de título em curto prazo?

O New England Patriots tem sete vitórias em sete jogos na atual temporada da NFL, lidera a sua divisão e tem tudo para ser o representante da Conferência Americana no Super Bowl 54 em fevereiro de 2020. O assunto da semana, no entanto, não é o bom momento do time, mas sim o futuro de Tom Brady.

Aos 42 anos de idade, o quarterback é seis vezes campeão do Super Bowl e nunca defendeu outra franquia na NFL. Ele foi draftado na 199ª posição em 2000 e diz que quer jogar mais três temporadas, mas evita cravar qualquer informação sobre seu futuro.

Brady falou sobre seu futuro em entrevista para a rádio WEEI nesta quarta (23) e preferiu não cravar o que fará no futuro.

"Eu penso que esta é uma situação única na qual eu estou, porque quando você se compromete com um time por uma certa quantidade de anos você pensa que há a responsabilidade de sempre cumprir o contrato", disse Brady.

"Um dia, eu vou acordar e sentir que já fiz o bastante. Esse dia vai chegar quando ele chegar. Eu não sei se vai ser após esta temporada. Eu não sei se vai ser daqui cinco anos. Mas eu não preciso definir essas coisas agora. Essas decisões virão em tempos mais apropriados", completou.

Na última segunda-feira (21), dia em que os Patriots amassaram o New York Jets por 33 a 0, o jornalista Adam Schefter, da ESPN, levantou a possibilidade de Brady deixar a franquia depois de 20 temporadas. Para justificar que o jogador estaria preparando a transferências, o repórter, um dos maiores especialistas de NFL nos Estados Unidos, listou três informações.

A primeira seria o fato de Brady e sua esposa, a modelo brasileira Gisele Bundchen, terem colocado a casa em que vivem em Boston à venda em agosto deste ano. A segunda seria o fato de Alex Guerrero, treinador pessoal de Brady e responsável por algumas polêmicas com a comissão técnica dos Patriots, também ter colocado o imóvel em que mora para vender. A última seria a única ligada de fato ao esporte.

Aos 42 anos, Brady renovou seu contrato com os Patriots até 2021 também em agosto deste ano, mas pode se tornar agente livre ao fim da atual temporada. E, segundo Schefter, existe essa possibilidade.

Caso o astro decida buscar novos ares e jogar a sua 21ª temporada na liga com outra camisa, qual poderia ser o seu futuro time? Pensando nos outros 31 times da liga, alguns apresentam boas condições para ter o quarterback no elenco, enquanto outros são carta fora do baralho.

É praticamente impossível imaginar Brady atuando em um dos rivais dos Patriots, caso dos adversários de divisão - Buffalo Bills, Miami Dolphins e New York Jets -, ou rivais de conferência, como Baltimore Ravens, Pittsburgh Steelers e Indianapolis Colts. Coloque nesta lista também o New York Giants, time que venceu Brady duas vezes no Super Bowl.

O jogador sempre diz que o seu anel de campeão preferido é o próximo, o que mostra que ele escolheria um time em condições de chegar ao Super Bowl. Assim, podemos excluir da lista times que estão em reestruturação e que demorariam alguns anos para de fato brigar por títulos.

Brady poderia retornar para seu estado natal, a Califórnia, mas o San Francisco 49ers parece apostar em Jimmy Garoppolo, enquanto o Los Angeles Rams acabou de renovar com Jared Goff por quatro anos. O Oakland Raiders está de mudança para Las Vegas, mas poderia ser uma opção.

Na Califórnia, restaria o Los Angeles Chargers, time que tem bons talentos, mas faz uma temporada longe das expectativas. Além disso, a equipe tem como quarterback Philip Rivers, dono da posição desde 2004.

Olhando para a Conferência Americana, dois times surgem como bons destinos. O Chicago Bears tem uma defesa muito forte e um corpo de recebedores e corredores de bom nível, mas o ponto fraco é justamente o líder do ataque. O quarterback Mitchell Trubisky não consegue se desenvolver a ponto de ser visto como o dono da posição.

Outra possibilidade seria o New Orleans Saints, um dos times mais fortes da NFL. Mas tudo dependeria da aposentadoria ou não do quarterback Drew Brees, já que ele tem contrato até 2020 com a franquia.

Ao analisar o cenário de times que poderiam receber Brady em condições de disputar um Super Bowl já no primeiro ano, talvez a conclusão seja que ficar em New England seja a melhor opção para o futuro ocupante do hall da fama da NFL.

Tom Brady não consegue seguir ritmo de Gisele na academia

Band Entretenimento

Futebol Americano