PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Fábio Seixas: GP em Interlagos pode ter público ou nem mesmo acontecer

Do UOL, em São Paulo

17/06/2021 13h05

O jornalista Fábio Seixas revelou em sua coluna no UOL nos últimos dias que os organizadores do GP de Fórmula 1 em Interlagos pretendem fazer com que a corrida, marcada para o dia 7 de novembro, seja a reabertura de grandes eventos com público no Brasil, meta estipulada pela prefeitura e pelo governo de São Paulo.

Em sua participação no programa UOL News Esporte, com Domitila Becker, o jornalista explica que a venda de ingressos deve começar ainda nesta semana mas considera como duas grandes possibilidades a corrida com público ou o cancelamento da prova devido às restrições impostas na Europa para quem viaja do Brasil.

"A ideia dos organizadores é colocar os ingressos à venda ainda nessa semana, ou seja, amanhã, sexta-feira (18). Eu confesso que estou bem dividido, eu acho que existe uma enorme chance de a corrida não acontecer por causa das restrições na Europa, porque todo mundo que viajasse aqui do Brasil, toda a turma da Fórmula 1 que estivesse aqui no Brasil, depois teria que voltar para a Europa, porque existe uma semana de intervalo ou duas semanas de intervalo entre o Grande Prêmio do Brasil e a corrida da Austrália, então essa turma não iria ficar no Brasil e todo mundo voltaria principalmente para a Inglaterra, que é onde a maior parte das equipes está", diz Seixas.

"A Inglaterra hoje exige quarentena para os viajantes vindos do Brasil. Por aí eu acho que é difícil a corrida acontecer. Por outro lado, os organizadores do GP estão bastante otimistas, a prefeitura de São Paulo e o governo estadual querem justamente isso, usar o Grande Prêmio como um grande marco da reabertura do país para grandes eventos internacionais com público, claro que existe essa questão política, essa rixa com o governo Bolsonaro, então vamos tentar entender e acompanhar nos próximos dias o que vai acontecer. As duas possibilidades são bem grandes, corrida não acontecer e corrida acontecendo com público, fazendo esse marco da reabertura da Fórmula 1 no país", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Fórmula 1