PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Hamilton supera Schumacher e se torna maior vencedor da história da F1

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/10/2020 11h43

92 vezes Lewis Hamilton. O piloto da Mercedes cumpriu as expectativas na manhã de hoje e se isolou como o maior vencedor da história da Fórmula 1 ao triunfar no GP de Portugal, no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão. Ele havia igualado o recorde de Michael Schumacher, estabelecido pelo alemão em 2006, há duas semanas.

A volta da F-1 a Portugal depois de 24 anos foi com bastante emoção. O Grande Prêmio reservou um início alucinante em uma mistura de traçado, temperatura e ameaça de chuva. Hamilton perdeu a ponta — a McLaren de Carlos Sainz chegou a assumir a liderança por alguns instantes —, mas retomou a frente a partir da volta 20 para guiar para mais uma vitória. Foi a oitava vez que o britânico venceu na temporada. Valtteri Bottas, da Mercedes, e Max Verstappen, da Red Bull, completaram o pódio.

Na comemoração de mais uma marca histórica, Hamilton abraçou a treinadora Angela Cullen, o seu engenheiro de pista Peter Bonnington, e o pai Anthony.

"Devo isso à [equipe da Mercedes] aqui e àqueles que estão na fábrica. Foi um grande privilégio trabalhar com eles. Eu só poderia sonhar onde estou hoje. Vai demorar um pouco para entender. Não consigo encontrar as palavras no momento", disse Hamilton após a corrida.

Agora, Lewis Hamilton se aproxima ainda mais de seu sétimo título mundial. Ele soma 256 pontos, contra 179 do companheiro Valtteri Bottas, segundo colocado. A Fórmula 1 volta no próximo fim de semana, com o GP da Emilia Romagna, em Ímola.

Largada maluca tem até McLaren na ponta

A largada do GP de Portugal foi um espetáculo à parte neste domingo. A combinação de traçado, temperatura e algumas gotas de chuva deu um toque especial que tornou o início da corrida bastante imprevisível. Tanto é que a McLaren de Carlos Sainz apareceu na liderança — pulando da sétima para a primeira colocação.

Lewis Hamilton, que fez a pole ontem, conseguiu segurar a pressão de Bottas e Verstappen no início, mas em pouco tempo acabou superado. O britânico sofreu com o aquecimento dos pneus nas primeiras curvas e perdeu a ponta. Inicialmente para Bottas, mas depois para Sainz. O espanhol da McLaren levou vantagem ao optar pelos pneus macios e assumiu a frente.

Passada a loucura da largada, a Mercedes encontrou o ritmo (e temperatura de pneus) e retomou o controle da corrida a partir da sexta volta, com Bottas na liderança e Hamilton em segundo.

Longe das primeiras posições, também houve muita emoção. Destaque para Kimi Raikkonen, que ganhou incríveis dez posições com a sua Alfa Romeo. Ele pulou de 16º e para a sexta posição no começo do GP. Ao término, cruzou a linha de chegada em 11º.

Hamilton assume a liderança na volta 20

Valtteri Bottas tentou, mas não conseguiu segurar a pressão de Lewis Hamilton por muito tempo. O britânico acelerou forte e logo colou no companheiro de equipe. Curiosamente, ele registrava voltas rápidas enquanto reclamava pelo rádio com a equipe sobre os pneus. Na volta 20, veio a ultrapassagem. Na longa reta de Algarve, Hamilton colocou de lado e reassumiu a ponta. Mais do que isso: uma vez na frente, deixou Bottas para trás e abriu vantagem confortável.

Ocon faz quase toda corrida com mesmo pneu

O francês Esteban Ocon adotou uma estratégia impressionante na corrida de hoje. O piloto da Renault fez quase toda a corrida com os mesmos pneus da largada. Ele usou pneus médios em 54 das 66 voltas e só fez o seu pit stop no fim. Ele largou em 11º e completou na zona de pontuação, em oitavo.

Hamilton reclama de... cãibras

A oito voltas do fim, Hamilton usou o rádio para comunicar à equipe um inconveniente. Nada de problemas no carro ou pneus... O britânico informou a Mercedes que estava sofrendo com cãibras.

Nada, porém, que impedisse o hexacampeão de levar o seu carro para a histórica vitória em Portugal.

F1 volta a Portugal após 24 anos

Foram 24 anos sem corrida da Fórmula 1 em Portugal. A última edição havia sido em 1996, em Estoril. Naquela ocasião, Jacques Villeneuve venceu em uma dobradinha da Williams com Damon Hill. O país teve o primeiro Grande Prêmio em 1958 e hoje recebeu a categoria pela 17ª vez.

Vale lembrar que Portugal foi palco da primeira vitória de Ayrton Senna na Fórmula 1. O brasileiro venceu com a Lotus em 1985, em Estoril. Além disso, a corrida já foi sediada nas cidades de Monsanto (Lisboa) e Porto.

Veja a classificação final do GP de Portugal:

1º Lewis Hamilton (ING/Mercedes)
2º Valtteri Bottas (FIN/Mercedes)
3º Max Verstappen (HOL/Red Bull)
4º Charles Leclerc (MON/Ferrari)
5º Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri)
6º Carlos Sainz (ESP/McLaren)
7º Sergio Perez (MEX/Racing Point)
8º Esteban Ocon (FRA/Renault)
9º Daniel Ricciardo (AUS/Renault)
10º Sebastian Vettel (ALE/Ferrari)
11º Kimi Räikkönen (FIN/Alfa Romeo)
12º Alexander Albon (TAI/Red Bull)
13º Lando Norris (ING/McLaren)
14º George Russell (ING/Williams)
15º Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo)
16º Kevin Magnussen (DIN/Haas)
17º Romain Grosjean (FRA/Haas)
18º Nicholas Latifi (CAN/Williams)
19º Daniil Kvyat (RUS/AlphaTauri)
20º Lance Stroll (CAN/Racing Point) - não completou

Fórmula 1