PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Presidente da Ferrari diz que a equipe só deve voltar a vencer em 2022

John Elkann, presidente da Ferrari, admitiu que o carro deste ano - cujo motor também será usado no ano que vem - não é competitivo - Photo4/LaPresse/DiaEsportivo/Folhapress
John Elkann, presidente da Ferrari, admitiu que o carro deste ano - cujo motor também será usado no ano que vem - não é competitivo Imagem: Photo4/LaPresse/DiaEsportivo/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

28/07/2020 08h56

O presidente da escuderia Ferrari, John Elkann, disse que a equipe só deve voltar a ser competitiva na Fórmula 1 e vencer em 2022. "Hoje estamos lançando as bases para sermos competitivos e voltarmos a vencer quando as regras mudarem em 2022. Estou convencido disso", disse Elkann em entrevista à emissora BBC.

As regras citadas por Elkann se referem à decisão das equipes de correrem com os mesmos carros deste ano novamente em 2021, em razão da pandemia do novo coronavírus. A Ferrari está em desvantagem em relação à velocidade dos veículos nesta temporada.

Os carros utilizados pela equipe são cerca de um segundo mais lentos que os da Mercedes, por exemplo, tempo crucial para os pilotos. O presidente da escuderia culpa a aerodinâmica dos veículos.

"Tivemos uma série de fragilidades estruturais que existem há algum tempo na aerodinâmica e dinâmica do veículo. Também perdemos a potência do motor", explicou ele.

Elkann também lamentou o fato de ter que correr com o mesmo motor na próxima temporada, motivo pelo qual ele descarta qualquer competitividade da Ferrari no ano que vem. "A realidade é que nosso carro não é competitivo. Você o viu na pista e o verá novamente".

Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, ambos da Mercedes, ocupam o primeiro e segundo lugar da classificação, respectivamente. Leclerc, o melhor piloto da Ferrari na temporada, ocupa a sétima posição, com 45 pontos a menos que Hamilton.

Fórmula 1