PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Hamilton vence com folga; Ferraris batem e abandonam

GP da Estíria de Fórmula 1

Do UOL, em São Paulo

12/07/2020 11h36Atualizada em 13/07/2020 09h07

Lewis Hamilton foi soberano no GP da Estíria e venceu com tranquilidade neste segundo final de semana seguido de Fórmula 1 na Áustria. O inglês largou na frente graças a uma grande performance num treino de classificação realizado sob intensa chuva, manteve a ponta e não foi ameaçado.

Já o segundo lugar viu uma briga intensa entre Max Verstappen e Valtteri Bottas. O piloto da Mercedes estava em terceiro e se aproximava com um carro melhor, enquanto o rival enfrentava problemas com o pneu. Os dois dividiram algumas curvas graças ao espírito aguerrido do holandês, mas o carro mais veloz falou mais alto e garantiu a segunda posição.

Até a temporada passada, a Ferrari participava desta briga por primeiras posições. Mas, neste final de semana, a equipe foi mal nos treinos e viu seus carros abandonarem logo no começo. Charles Leclerc bateu em Sebastian Vettel e ambos abandonaram.

Comemoração antirracista

Hamilton transformou a vitória em ferramenta de manifestação contra o racismo. Ele ergueu o punho direito cerrado, gesto que representa a resistência à opressão e tem sido repetido por movimentos de luta contra preconceito racial desde o último século.

Único negro na categoria, Hamilton tem participado dos protestos de rua contrários à violência policial e por mais igualdade entre as raças. Antes da largada, 16 pilotos participaram de um ato contra o racismo. O inglês e outros colegas vestiram camisetas com frases antirracistas.

Ferrari, que fase!

O chefe da Ferrari, Matia Binotto, estava certo quando disse que a equipe não deveria se iludir com o segundo lugar de Leclerc semana passada. O monegasco largou somente em 14º lugar hoje e, logo na terceira curva da primeira volta, com os carros todos dividindo um espaço pequeno da pista, tentou ultrapassagens e bateu justamente no carro de Vettel.

O toque arrancou a asa traseira do carro do alemão, que abandonou. Leclerc teve problemas no carro e precisou parar duas vezes nos boxes, antes de encostar e também ficar fora da corrida. As câmeras flagraram os dois conversando sobre o assunto.

Em entrevista à Rede Globo, Matia Binotto disse que não adianta ficar procurando culpados, mas olhar para frente e tentar se recuperar. Ele pediu união da equipe e não ficar apontando dedos. A próxima prova é na Hungria, onde a velocidade de reta, ponto fraco da Ferrari, conta menos.

Vista do carro de Kimi Raikkonen mostra batida entre Charles Leclerc e Sebastien Vettel, da Ferraria, no GP da Estíria - Reprodução - Reprodução
Vista do carro de Kimi Raikkonen mostra batida entre Charles Leclerc e Sebastien Vettel, da Ferraria, no GP da Estíria
Imagem: Reprodução

Leclerc admite culpa

Os dois pilotos da Ferrari também conversaram com a Rede Globo e Charles Leclerc admitiu a culpa pelo episódio. "Todo mundo viu na TV, foi minha culpa, Seb [Sebastian Vettel] não teve culpa nenhuma. Estou muito triste por ter abandonado logo no começo da corrida", declarou. Leclerc contou que pediu desculpas ao companheiro de equipe e lamentou ter atrapalhado a Ferrari e desperdiçado o trabalho de engenheiros e mecânicos.

"Eu pedi desculpas [para o Vettel], mas obviamente desculpas não são suficientes em momentos como esse. Estou desapontando comigo mesmo, fiz um trabalho muito ruim hoje, desapontei a equipe. Eu só posso me desculpar, mesmo sabendo que isso não é o bastante. Espero que possa superar essa e voltar mais forte pra próxima corrida. É um momento difícil para a equipe. A equipe não precisa disso. Eu joguei todo o esforço da equipe no lixo".

Pelo menos em frente às câmeras, Vettel foi compreensivo e tratou de minimizar a batida. Ele desconversou sobre o acidente e disse que o episódio foi ruim para ambos. Acrescentou que no próximo final de semana terá nova chance no GP da Hungria.

Grande final de semana de Pérez

A vitória ficou com Hamilton, mas ele precisou dividir as atenções com o mexicano Sergio Pérez. O piloto da Racing Point largou em 17º lugar e efetuou uma série de ultrapassagens até terminar a corrida em sexto. E não foi por estratégia de boxes, mas posições ganhas na pista.

Depois de 14 voltas, Pérez já estava na zona de pontuação. Ele manteve a postura de caçador e seguiu fazendo ultrapassagens, chegando a ter a melhor volta da corrida em um determinado momento. O desempenho fez o mexicano ameaçar inclusive Alexander Albon, que dirige um Red Bull, equipe de elite da Fórmula 1.

Mas ele se envolveu em toque durante esta disputa e caiu para o sexto lugar no final da corrida, sendo ultrapassado por Lando Norris na última curva. Ainda assim, uma grande performance que valeu ser escolhido como piloto do dia, honraria postada pelo perfil da Fórmula 1 no Twitter.

Bottas lidera o campeonato; Hamilton é segundo

Com as duas corridas na Áustria concluídas, a classificação confirma o esperado domínio da Mercedes no começo da temporada. Bottas é o primeiro lugar com 43 pontos e Hamilton vem na sequência com 37 pontos. Chama a atenção o terceiro lugar de Lando Norris, da McLaren, que está com 26 pontos.

O abandono de pilotos da Ferrari e da Red Bull dão larga vantagem a Mercedes na classificação por construtores. A equipe alemã tem 80 pontos. A McLaren é vice com longíquos 38 pontos e a Red Bull aparece na terceira posição com 27 pontos. Confira a classificação completa clicando aqui.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado na primeira versão do texto, Perez terminou a corrida em sexto lugar, não em quinto. O erro foi corrigido.

Fórmula 1