PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Hamilton confirma protesto de pilotos, mas diz que não é sua prioridade

Lewis Hamilton confirma protesto de pilotos contra racismo, mas diz que essa não é sua prioridade - Reprodução/Instagram
Lewis Hamilton confirma protesto de pilotos contra racismo, mas diz que essa não é sua prioridade Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

02/07/2020 17h02

Lewis Hamilton, seis vezes campeão mundial de Fórmula 1, confirmou hoje que os pilotos devem organizar algum tipo de gesto contra o racismo no Grande Prêmio da Áustria, no domingo (5). No entanto, ele afirmou, em entrevista a jornalistas, que essa não tem sido sua prioridade.

"Tenho certeza de que, como pilotos, representaremos algo. Fui perguntado várias vezes e essa não tem sido realmente uma prioridade para mim, vir com um plano para me ajoelhar na linha de partida", contou o piloto, referindo-se ao gesto que tornou-se bastante comum no futebol.

Como único piloto negro da Fórmula 1, Hamilton tem insistido na necessidade de mudanças estruturais na competição. "Não vou parar de pressionar até realmente vermos mudanças. Ver uma pessoa negra no autódromo não é diversidade, e por isso temos que cavar fundo e realmente tentar nos unir e fazer o possível para mudar isso, e acho que isso começa com a educação".

"Se é sustentável ou não, tem que ser. Esse é o ponto principal de eu mencionar [a necessidade de mudanças] - não é o suficiente tirar um momento e postar 'BlackOut Tuesday' [nas mídias sociais] e depois voltar para sua vida normal. Temos que insistir nisso. Os negros não têm o privilégio de poder tirar uma pausa. É algo que temos que ficar em cima; a indústria precisa agir."

Por fim, Hamilton falou sobre a necessidade de união para que o racismo seja superado: "É realmente importante que continuemos unidos — ou melhor, nos tornemos unidos — neste esporte. Nós realmente precisamos combater as injustiças e as desigualdades. Todos temos que nos unir, cada uma de nossas vozes é poderosa e, se as reunirmos coletivamente, podemos ter um enorme impacto".

Em resposta ao racismo, debate que surgiu após o assassinato de pessoas negras pela polícia estadunidense, como George Floyd e Breonna Taylor, algumas escuderias decidiram mudar a cor dos carros e terão mensagens pela diversidade.

Fórmula 1