PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Fórmula 1 amplia paralisação por coronavírus e agora adia o GP do Canadá

Montreal é palco tradicional do GP do Canadá de F1 - Mathias Kniepeiss/Getty Images
Montreal é palco tradicional do GP do Canadá de F1 Imagem: Mathias Kniepeiss/Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/04/2020 15h11

A Fórmula 1 ampliou a paralisação por causa da pandemia da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, e afetou agora o GP do Canadá. É a nona etapa da temporada prejudicada pela crise de saúde mundial. Agora, o GP da França, marcado para o dia 28 de junho, ocupa o papel de "primeira corrida" do calendário.

"A FIA disse que o Grupo de Estratégia, a Comissão de F1, e as dez equipes aprovaram por unanimidade a extensão do período de paralisação de 21 para 35 dias. O Conselho Mundial de Automobilismo posteriormente ratificou a decisão", disse a nota publicada pela Fórmula 1 hoje.

A organização do GP do Canadá também se pronunciou e disse que "teria sido uma honra receber a primeira corrida do calendário do Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 2020" e que os promotores do evento "estão tristes" por ter que adiar a prova.

"Estou orgulhoso por ver como iniciativas maravilhosas e avanços técnicos da Fórmula 1 estão sendo aplicados em tempos de crise. No momento, é crucial que todas as nossas energias sejam reunidas para superar a covid-19. Nós vamos recebê-los de braços abertos no Circuito Gilles Villeneuve assim que for seguro", disse François Dumontier, presidente do GP do Canadá.

O CEO da Fórmula 1, Chase Carey, também se manifestou após a oficialização do adiamento da prova canadense. "Nós temos trabalhado de perto com nossos amigos do GP do Canadá ao longo das últimas semanas e dando apoio para a tomada dessa necessária decisão para garantir a segurança dos torcedores e da comunidade da F1. Nós sempre esperamos viajar para a cidade incrível de Montreal e, embora todos tenhamos que esperar um pouco mais para isso, nós vamos fazer um ótimo espetáculo quando chegarmos lá mais tarde esse ano".

Até então, o GP do Azerbaijão, cuja data original era de 7 de junho, tinha sido a última etapa afetada pela pandemia no calendário da F1, que provocou uma paralisação total dos trabalhos dos times.

"O desligamento total vale para departamentos como design, pesquisa e desenvolvimento, produção e construção de ferramentas de desmontagem. Uma recente mudança de regra estendeu o fechamento aos fabricantes de unidades de energia também, à medida que os legisladores se moviam para cortar custos", afirmou a nota da F1.

O GP do Canadá se junta ao Azerbaijão, Barein, China, Espanha, Holanda e Vietnã entre as provas adiadas no calendário de 2020. Além delas, as etapas da Austrália e de Mônaco foram definitivamente canceladas.

Veja quais são as provas que ainda não foram afetadas e suas respectivas datas:

GP da França - 28 de junho
GP da Áustria - 5 de julho
GP da Inglaterra - 19 de julho
GP da Hungria - 2 de agosto
GP da Bélgica - 30 de agosto
GP da Itália - 6 de setembro
GP de Cingapura - 20 de setembro
GP da Rússia - 27 de setembro
GP do Japão - 11 de outubro
GP dos EUA - 25 de outubro
GP do México - 1º de novembro
GP do Brasil - 15 de novembro
GP de Abu Dhabi - 29 de novembro

Provas a serem encaixadas no calendário: Canadá, Azerbaijão, Barein, China, Espanha, Holanda e Vietnã

Fórmula 1