PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Bottas domina GP da Austrália e vence na abertura da temporada da Fórmula 1

Bottas comemora vitória no GP da Austrália - PETER PARKS/AFP
Bottas comemora vitória no GP da Austrália Imagem: PETER PARKS/AFP

Do UOL, em São Paulo

17/03/2019 03h39

Valtteri Bottas sobrou no GP da Austrália. O finlandês da Mercedes dominou a corrida na madrugada de hoje (17), em Melbourne, e venceu a primeira prova da temporada 2019 da Fórmula 1. O britânico Lewis Hamilton, também da Mercedes, e o holandês Max Verstappen, da Red Bull, completaram o pódio.

Largando na primeira fila, Bottas assumiu a liderança da corrida ainda na volta inicial. Com ritmo forte e grande desempenho no circuito australiano, o finlandês cruzou a linha de chegada após 58 voltas com mais de 20s de vantagem para o segundo colocado.

Se por um lado Bottas correu com tranquilidade, Hamilton não pode dizer o mesmo. Depois de conseguir a pole position no sábado, o pentacampeão mundial da F1 não conseguiu acompanhar o ritmo do companheiro e teve trabalho para conter Verstappen na briga pela segunda posição. A Ferrari, que dominou a pré-temporada, não fez frente para Mercedes na Austrália e viu Sebastian Vettel e Charles Leclerc ficarem na quarta e quinta colocação, respectivamente.

A Fórmula 1 volta no dia 31 de março, com o GP do Bahrein, em Sakhir.

Avassalador, Bottas volta a vencer e consegue ponto extra

Bottas lidera GP da Austrália - PETER PARKS/AFP - PETER PARKS/AFP
Imagem: PETER PARKS/AFP
O desempenho irretocável de Bottas em Melbourne marcou o retorno do finlandês ao lugar mais alto do pódio. Após passar em branco na temporada passada, o piloto da Mercedes venceu pela primeira vez desde a última corrida de 2017, em Abu Dhabi.

Valtteri Bottas ainda coroou a grande corrida com a melhor volta na penúltima volta. Com isso, ele conseguiu o ponto extra -- concedido ao dono da volta mais rápida da corrida conforme o novo regulamente da F1 -- na Austrália

Hamilton sofre com parada cedo

Lewis Hamilton largou na primeira posição, mas foi ultrapassado por Bottas logo na primeira volta. Além de ver o companheiro impor um ritmo fortíssimo desde que assumiu a ponta, o britânico ainda contou com outro obstáculo que o impediu de brigar efetivamente pela vitória na Austrália. Um pit stop prematuro, ainda na volta 16, afastou o inglês da disputa pela primeira posição. Pelo rádio, o pentacampeão mundial chegou a questionar a equipe pela decisão da parada logo no começo da prova. Bottas, por exemplo, só foi aos boxes na volta 24.

Enquanto Bottas disparava na liderança, Hamilton concentrou os esforços em manter a segunda posição. Ele precisou conter o ímpeto de Verstappen durante boa parte da corrida.

Ferrari decepciona e companheiros quase batem

Depois de dominar os treinos de pré-temporada da F1, a Ferrari deixou a desejar na Austrália. Além de ficar fora do pódio nesta madrugada, a dupla da escuderia italiana não conseguiu impor um bom ritmo em Melbourne. No começo da corrida, inclusive, por muito pouco os companheiros de equipe não se tocaram. Leclerc precisou recolher o carro e sair parcialmente da pista para não atingir o carro de Vettel.

Nas últimas voltas, os dois pilotos travaram uma briga particular pela quarta posição. Apesar de Leclerc andar em um ritmo mais forte, Vettel conseguiu conter as investidas do novo companheiro.

Ricciardo volta a sofrer em casa

O australiano Daniel Ricciardo segue com a sina de não conseguir bons resultados em casa na F1. Na corrida de hoje, o piloto da Renault passou pela grama ainda na reta de largada e perdeu a asa dianteira. Ele precisou parar nos boxes logo na sequência e caiu para as últimas posições.

Com a corrida comprometida, Ricciardo ficou no fim da fila durante quase toda a prova e não conseguiu completar a prova. Na Fórmula 1, o australiano ainda não conseguiu ao menos um pódio após sete corridas disputadas em casa - o melhor resultado de Ricciardo foi uma quarta colocação nas temporadas 2016 e 2018.

Um minuto de silêncio

A Fórmula 1 prestou homenagem a Charlie Whiting, diretor da F1 que morreu na última quarta-feira (13), vítima de uma embolia pulmonar. A categoria fez um minuto de silêncio antes do começo da corrida em Melbourne.

Whiting era o último remanescente do time que Bernie Ecclestone levou consigo da Brabham, time que dirigiu nos anos 70 e 80, para o comando da Fórmula 1. Ele estava na categoria em 1977, na extinta equipe Hesketh, e nos anos 80 foi para a Brabham e trabalhou com Nelson Piquet na conquista de seu bicampeonato com o time inglês. Em 1988, ele se juntou à Federação Internacional de Automobilismo, primeiro como delegado técnico, e depois como diretor de provas.

Confira o resultado final do GP da Austrália

1) Valtteri Bottas (Mercedes/FIN)
2) Lewis Hamilton (Mercedes/ING)
3) Max Verstappen (Red Bull/HOL)
4) Sebastian Vettel (Ferrari/ALE)
5) Charles Leclerc (Ferrari/MON)
6) Kevin Magnussen (Haas/DIN)
7) Nico Hülkenberg (Renault/ALE)
8) Kimi Räikkönen (Alfa Romeo/FIN)
9) Lance Stroll (Racing Point/CAN)
10) Daniil Kvyat (Toro Rosso/RUS)
11) Pierre Gasly (Red Bull/FRA)
12) Lando Norris (McLaren/ING)
13) Sergio Pérez (Racing Point/MEX)
14) Alexander Albon (Toro Rosso/TAI)
15) Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo/ITA)
16) George Russell (Williams/ING)
17) Robert Kubica (Williams/POL)
Romain Grosjean (Haas/FRA) - não concluiu
Daniel Ricciardo (Renault/AUS) - não concluiu
Carlos Sainz (McLaren/ESP) - não concluiu

Fórmula 1