PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

'Cedo ou tarde', Toro Rosso terá um piloto japonês, diz chefe de equipe

Chegada de piloto japonês seria facilitada por acordo da Toro Rosso com a Honda, sua fornecedora de motores - Divulgação
Chegada de piloto japonês seria facilitada por acordo da Toro Rosso com a Honda, sua fornecedora de motores Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

21/05/2018 17h35

O acordo da Toro Rosso para correr com motores Honda na Fórmula 1 deve colocar um piloto japonês na equipe “mais cedo ou mais tarde”. Quem afirma é Franz Tost, chefe de equipe da escuderia satélite da Red Bull, em declarações publicadas pelo site da revista Autosport.

O time começou a temporada 2018 da F-1 tendo como titulares o francês Pierre Gasly e o neozelandês Brendon Hartley, ambos oriundos do projeto de formação de pilotos da Red Bull. Ao mesmo tempo, dois pilotos japoneses apoiados pela Honda disputam a Fórmula 2: Nirei Fukuzumi (da equipe Arden) e Tadasuke Makino (da Russian Time).

Fukuzumi, que também disputa a Super Fórmula no Japão em 2018, vem sendo cotado para assumir um dos carros da Toro Rosso em 2019, embora ainda não disponha de uma superlicença para correr na Fórmula 1. No entanto, ao ser questionado se Fukuzumi é candidato a uma vaga na próxima temporada, Franz Tost acenou positivamente.

“É claro. Há a ligação com a Honda. E o que quereremos é, mais cedo ou mais tarde, contarmos com um piloto japonês”, disse o chefe de equipe da Toro Rosso. “Está em suas mãos. Ele deve mostrar um bom desempenho. Então, veremos”, completou.

Terceiro colocado da GP3 em 2017, Nirei Fukuzumi precisa terminar a temporada 2018 da Fórmula 2 entre os quatro primeiros para garantir sua superlicença. No entanto, com apenas um ponto em seis corridas, o japonês da Arden é o 18º colocado (entre 20 pilotos) da F-2.

Fórmula 1