PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Com carros voando nas curvas, GP da Itália deve ser decidido nos detalhes

Hamilton e Vettel no pódio do GP da Itália, em Monza - Mark Thompson/Getty Images
Hamilton e Vettel no pódio do GP da Itália, em Monza Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Monza (ITA)

30/08/2017 04h00

Após Lewis Hamilton ganhar o GP da Bélgica e diminuir a vantagem de Sebastian Vettel na liderança do campeonato para apenas sete pontos, a Fórmula 1 volta já neste final de semana com o GP da Itália. Correndo na casa da Ferrari, o alemão tenta defender sua primeira posição, mas as Mercedes devem estar fortes em um circuito de alta velocidade.

5 motivos para ficar de olho no GP da Itália

1. Pole apertada: como a volta em Monza é uma das mais curtas do campeonato, as diferenças na classificação costumam ser mínimas e, como deve ser mais difícil ultrapassar com os carros atuais pelo aumento da pressão aerodinâmica, a briga pela pole position tem tudo para ser nos detalhes.

2. Temperatura alta: O motor Mercedes deve falar alto em Monza, mas são três os fatores em que a Ferrari aposta para que Sebastian Vettel possa defender sua liderança no campeonato: a força da torcida italiana, a importância da tração nas saídas de curva e especialmente o calor. Os termômetros na casa dos 30ºC têm sido favoráveis para os italianos até aqui na temporada.

3. Pé embaixo: A maior pressão aerodinâmica gerada pelos carros atuais deve permitir que os pilotos fiquem por ainda mais tempo com a aceleração máxima em Monza. As simulações dão conta de que por volta de 80% da volta seja feita de pé embaixo. Isso não significa que serão quebrados recordes de velocidade máxima, pois a maior pressão aerodinâmica também significa mais arrasto nas retas, mas os carros serão mais velozes nas curvas.

4. Ânimos acirrados: O GP da Bélgica, no último final de semana, ficou marcado pelo clima quente entre os dois pilotos da Force India, com Esteban Ocon chegando a dizer que Sergio Perez tentou matá-lo ao espremer seu carro contra o muro em Spa. Não foi a primeira briga entre os dois e promete não ser a última. Já Fernando Alonso reclamou muito do motor Honda e teria abandonado simplesmente por vontade própria. E, no templo da velocidade de Monza, a situação não deve ser muito diferente.

5. Mercado movimentado: Foi no GP da Itália do ano passado que Felipe Massa anunciou sua aposentadoria da F-1, mas desta vez o brasileiro afirmou que ainda precisa “de algumas provas” para definir o futuro. Depois que a Ferrari anunciou que Vettel e Raikkonen ficam, há a expectativa de uma definição de Fernando Alonso. A situação da Force India também parece estar longe de ser definida, o que pode trazer uma série de mudanças, inclusive, no cenário na Williams.

Confira os horários do GP da Itália

Sexta-feira
Treino livre 1: das 5h às 6h30
Treino livre 2: das 10h às 11h30

Sábado
Treino livre 3: das 6h às 7h
Classificação: 9h

Domingo: 9h

Fórmula 1