PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Com astros insatisfeitos, mercado promete dança das cadeiras. Mas em 2018

Eles serão futuros companheiros ou vão trocar de equipe? - REUTERS/Juan Medina
Eles serão futuros companheiros ou vão trocar de equipe? Imagem: REUTERS/Juan Medina

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Spa-Francorchamps (BEL)

24/08/2017 04h00

Quando a temporada de 2017 começou, era grande a expectativa de grandes movimentações no mercado de pilotos, uma vez que contratos importantes, como o da dupla da Ferrari, de Valtteri Bottas na Mercedes e de Fernando Alonso na McLaren, se encerrariam ao final do ano. Porém, apesar de nenhuma confirmação ter sido anunciada, o cenário atual nos bastidores aponta para a estabilidade. Afinal, estariam todos em compasso de espera para 2018.

O primeiro movimento já foi feito ainda nesta semana, com o anúncio da permanência de Kimi Raikkonen na Ferrari em 2018. Mas a questão continua aberta: o que vai acontecer com o mercado para 2019?

Isso explica a demora na renovação que era dada como certa de Vettel na Ferrari. A equipe teria oferecido mais três anos de contrato ao alemão, algo que vem sendo praxe em Maranello nos últimos anos, mas o piloto estaria tentando um compromisso mais curto, de apenas um. O plano de Vettel é estar livre para avaliar uma possível possibilidade na Mercedes.

No time alemão, os constantes elogios do chefe Toto Wolff a Bottas indicam a permanência do finlandês por pelo menos mais um ano, enquanto o contrato atual de Lewis Hamilton vai até o final de 2018. O inglês, por sua vez, vem dando declarações contraditórias, ora dizendo que tem vários projetos fora do automobilismo, ora garantindo que fica na F-1 pelo menos até os 35 anos - o inglês completa 33 no início de 2018.

Esse compasso de espera também atinge Alonso, que inicialmente colocava como prazo o mês de setembro para decidir seu futuro, e agora admite que a situação pode se estender até o final do ano. Existe a possibilidade real do espanhol estar fazendo sua última temporada na F-1.

verstappen - Mark Thompson/Getty Images - Mark Thompson/Getty Images
Verstappen teve cinco abandonos em 7 GPs
Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Verstappen e Ricciardo de olho

Outros pilotos interessados nos movimentos de Vettel e Hamilton são a dupla da Red Bull. Apesar da equipe não divulgar detalhes de seus contratos, acredita-se que o compromisso tanto de Daniel Ricciardo, quanto de Max Verstappen terminem ano que vem. E a dificuldade da equipe voltar a ser competitiva sem ser o time de fábrica de nenhuma fornecedora de motores a torna menos atrativa para ambos, como reconheceu recentemente Verstappen.

“Sempre disse que não há motivos para sair enquanto eu tiver um carro competitivo. No momento não estamos onde eu gostaria, mas isso não significa que você tem de desistir facilmente. Você tem de trabalhar duro. Mas depois de dois ou três anos sem melhorar, a história seria diferente. Estamos trabalhando duro para melhorar, mas depois do ano que vem veremos o que acontece no futuro”, declarou o holandês, que já foi citado pelo presidente da Ferrari, Sergio Marchionne, como uma das possibilidades para o futuro da Scuderia, assim como Ricciardo.

Ainda se comenta no paddock que Vettel poderia surpreender e formar dupla com Hamilton já no ano que vem na Mercedes, mas essa possibilidade seria muito pequena. A expectativa é mesmo que a dança das cadeiras entre os grandes tenha que esperar mais um ano.

Confira os horários do GP da Bélgica
Sexta-feira, 25/08
Treino Livre 1 - 5h – 6h30
Treino Livre 2 - 9h – 10h30

Sábado, 26/08
Treino Livre 3   6h – 7h
Classificação – 9h – 10h
Domingo, 27/08
Corrida – 9h

Fórmula 1