PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Massa visita fábrica da Williams e conta como recebeu o convite para voltar

Reprodução
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

18/01/2017 11h27

Felipe Massa voltou oficialmente ao trabalho nesta quarta-feira na fábrica da Williams, na cidade de Grove, na Inglaterra. Foi a primeira  visita do piloto ao local desde que teve seu retorno à categoria anunciado na segunda-feira. Na visita, além de falar com a imprensa, o brasileiro aproveitou para rever os colegas com os quais achou que não iria mais trabalhar ao anunciar sua aposentadoria ano passado. 

"É uma ótima sensação voltar para a equipe e conversar com todo mundo", disse Massa em entrevista à Sky Sports. O piloto revelou a surpresa com a ligação que recebeu na terceira semana de dezembro, em que a chefe Claire Williams revelou que o time queria tê-lo de volta devido à proposta que Valtteri Bottas tinha tido de substituir Nico Rosberg na Mercedes.

"Recebi uma ligação, logo depois da festa de natal que fizemos na equipe. Vi que era a Claire e pensei que ela ia dizer que foi legal eu ter trabalhado na equipe, que ia agradecer, essas coisas. Mas ela disse ‘você está pronto para continuar e correr para nós ano que vem? Precisamos de você e queremos contar com seu trabalho. Valtteri tem a chance com a Mercedes, mas só vamos deixá-lo ir se o tivermos de volta’", contou o brasileiro.

"Foi uma surpresa ouvir isso, mas também totalmente compreensível devido à decisão do Nico de se aposentar. Era muito difícil para mim dizer não. Tive um encontro com a Claire e colocamos as coisas na mesa para que eu pudesse aceitar. Tinha que saber qual era o plano para a equipe para o futuro. Após essa conversa, era difícil dizer não porque é uma equipe para a qual adorei trabalhei.”

Massa se mostrou preocupado durante as negociações com as reais possibilidades da Williams, que caiu de produção ano passado e ficou apenas em quinto lugar no Mundial de Construtores. Nos anos anteriores, o time havia se colocado como o terceiro melhor time. Porém, o brasileiro ficou convencido com o que ouviu sobre o futuro imediato da equipe, especialmente em um ano no qual a F-1 passa por uma extensa mudança de regulamento.

"Tudo começa do zero para todos e será um ano difícil do ponto físico para os pilotos. Eu gosto disso, gosto da ideia de começar do zero e espero crescer com a equipe da primeira até a última prova. Estou muito motivado. Claro que foi estranho porque tive grandes sensações com minhas despedidas e tudo foi perfeito. Parar e voltar não foi fácil, mas acho que todo mundo entende. Eu iria continuar correndo de qualquer jeito, em outra categoria. Estou treinando todo dia e espero que tenhamos uma temporada competitiva."

Fórmula 1