PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Último no grid do GP da China, Hamilton não joga a toalha e promete show

Clive Mason/Getty Images
Imagem: Clive Mason/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

16/04/2016 04h51

Lewis Hamilton sabia que largaria no máximo na terceira fila do GP da China, uma vez que foi para a classificação com uma punição de cinco posições pela troca do câmbio para esta etapa. Porém, não esperava um prejuízo tão grande: com problemas no sistema de recuperação de energia de sua Mercedes, o inglês não marcou tempo na classificação e vai largar na última colocação.

Mas o inglês, segundo colocado no campeonato, com 17 pontos de desvantagens para o companheiro Nico Rosberg, não jogou a toalha. E lembrou que vai ter a vantagem de poder usar mais jogos de pneus novos do que seus rivais diretos.

“Dá para ultrapassar aqui, e os pneus também não vão durar. Vou dar tudo o que tenho. Tenho que tentar o tempo inteiro e não posso desistir.”

O retrospecto recente dá ânimo para o inglês: da última vez que largou em uma posição tão desvaforável - no GP da Hungria de 2014, quando sequer alinhou no grid e partiu do pit lane - o piloto foi o terceiro colocado na corrida.

O inglês disse que o problema foi identificado assim que foi à pista pela primeira vez no início do treino. E, quando questionado se o problema não poderia ter sido identificado antes, uma vez que andou muito pouco na última sessão de treinos livres, disputada poucas horas antes da classificação, o piloto não quis criticar a equipe.

"O melhor que eu posso fazer é aprender. Tenho certeza de que os caras [da equipe] estão tão tristes quanto eu. Ganhamos e perdemos juntos. Temos de tentar descobrir qual é a o problema e nos certificar de que isso não vá acontecer novamente.”

O problema no motor de Hamilton foi na unidade de recuperação de energia calorífica, o MGU-H. Com isso, o inglês terá de trocar o motor, chegando a sua segunda unidade na temporada. Cada piloto tem direito a cinco antes de começar a sofrer punições. 

Na China, Hamilton espera frear o companheiro Nico Rosberg, que vem na melhor sequência da carreira após vencer as últimas cinco provas disputadas - três em 2015 e duas neste início de temporada. Para piorar a situação de Hamilton, o alemão vai largar na pole position e adotou uma tática que lhe permite largar com os pneus macios, mais resistentes, ao contrário dos demais pilotos do top 10.

Confira o resultado da classificação do GP da China
1. Nico Rosberg ALE Mercedes-Mercedes 1m 35.402s
2. Daniel Ricciardo AUS Red Bull-TAG Heuer 1m 35.917s
3. Kimi Raikkonen FIN Ferrari-Ferrari 1m 35.972s
4. Sebastian Vettel ALE Ferrari-Ferrari 1m 36.246s
5. Valtteri Bottas FIN Williams-Mercedes 1m 36.296s
6. Daniil Kvyat RUS Red Bull-TAG Heuer 1m 36.399s
7. Sergio Perez MEX Force India-Mercedes 1m 36.865s
8. Carlos Sainz Jr ESP Toro Rosso-Ferrari 1m 36.881s
9. Max Verstappen HOL Toro Rosso-Ferrari 1m 37.194s
10. Nico Hulkenberg ALE Force India-Mercedes Sem tempo

11. Felipe Massa BRA Williams-Mercedes 1m 37.347s
12. Fernando Alonso ESP McLaren-Honda 1m 38.836s
13. Jenson Button ING McLaren-Honda 1m 39.093s
14. Romain Grosjean FRA Haas-Ferrari 1m 39.830s
15. Marcus Ericsson SUE Sauber-Ferrari 1m 40.742s
16. Felipe Nasr BRA Sauber-Ferrari 1m 42.430s

17. Kevin Magnussen DIN Renault-Renault 1m 38.673s
18. Esteban Gutierrez MEX Haas-Ferrari 1m 38.770s
19. Jolyon Palmer ING Renault-Renault 1m 39.528s
20. Rio Haryanto INA MRT-Mercedes 1m 40.264s
21. Pascal Wehrlein ALE MRT-Mercedes Sem tempo
22. Lewis Hamilton ING Mercedes-Mercedes Sem tempo* 

*punido pela troca do câmbio

Fórmula 1