PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Chefão da F1 concorda com críticas de pilotos. Mas pede sugestões concretas

Clive Mason/Getty Images
Imagem: Clive Mason/Getty Images

24/03/2016 09h16

O chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, demonstrou solidariedade com a Associação de Pilotos da categoria e concordou com as críticas feitas em uma carta aberta que questiona a maneira como a categoria tem sido comandada.

Ecclestone, também por meio de uma carta, escreveu que “não é sempre fácil concordar com vocês, mas estão certos. Precisamos, como vocês colocaram, insistir para que os donos e acionistas da F-1 considerem reestruturar seu governo.”

Usando certo tom de ironia, o dirigente pediu que os pilotos deem suas sugestões concretas de como melhorar o esporte. “É fácil analisar o que está errado. Pelo menos é melhor pensar antes de desejar algo.”

Na carta divulgada nesta quarta-feira e assinada por Sebastian Vettel, Jenson Button e Alex Wurz, ex-F-1 e atual presidente da GPDA, os pilotos criticam a forma como novas regras têm sido impostas, sem a consulta de todos os envolvidos, e pedem mudanlas.,

"Os pilotos chegaram à conclusão de que o processo decisório no esporte é obsoleto e trata-se de uma estrutura doente, que impede que sejam feitos progressos", disseram os pilotos no documento. "Inclusive, isso pode criar o oposto, travar o grid. Isso reflete negativamente em nosso esporte, impede que ele seja adequado para a nova geração e compromete um crescimento futuro".

Apesar do descontentamento ser antigo, o estopim da crise foi a alteração do formato de classificação sem que equipes ou pilotos fossem consultados. Após a desastrosa estreia na Austrália, quando o grid já estava formado com quatro minutos para o final, o novo sistema foi alterado e pode sofrer novas mudanças mesmo antes da segunda etapa, o GP do Bahrein, que será realizado dia 3 de abril.

Fórmula 1