PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Ecclestone pressiona equipes para permitir que a Pirelli faça mais testes

Do UOL, em São Paulo

28/01/2016 09h24

O promotor da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, defendeu o aumento do número de testes na categoria, especialmente para ajudar a Pirelli a fornecer pneus melhores. Ainda que a companhia italiana tenha assinado seu contrato sabendo da limitação de tempo de pista, uma vez que o esporte tenta cortar seus custos, o dirigente acredita que isso está afetando a qualidade do produto.

Os comentários de Ecclestone vieram a público dias depois da Pirelli ter realizado um teste de dois dias em pista molhada com a presença de Ferrari, McLaren e Red Bull. Tratava-se de um pedido antigo dos italianos, que não têm um carro próprio para testar e enfrentam barreiras regulamentares, com restrições para usar equipamentos recentes.

Ecclestone defendeu que as melhores equipe e seus pilotos titulares se dispusessem a testar com mais frequência. “Quero alguém que possa pilotar no limite e voltar com uma resposta”, disse. “A Pirelli concorda 100% comigo. É isso que eles pediram - uma equipe de ponta com pilotos de ponta e não alguém que não possa ir ao limite e um piloto que igualmente não consegue.”

Curiosamente, o dirigente disse não ter certeza de que assinou um contrato com a empresa para o fornecimento de pneus até 2019, como foi noticiado na imprensa. Conhecido por fechar negócios à moda antiga, Ecclestone disse ter dado “um aperto de mãos” com o chefe italiano, Marco Tronchetti Provera, e que isso já basta para ele.

“O contrato foi acordado. Não sei se eu assinei, se está assinado. O engraçado é que, com o presidente da Pirelli e eu, nós apertamos as mãos e isso é como assinar para mim e para ele.”

Para a extensão do contrato, que se iniciou em 2011, até 2019, a Pirelli enfrentou a concorrência da Michelin. Mesmo admitindo que algumas equipes pressionaram por uma mudança, Ecclestone disse que não fechou com os franceses porque “eles queriam dominar o esporte”.

Fórmula 1