PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Williams-Honda? Engenheiro do time rechaça possibilidade de mudar de motor

AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA
Imagem: AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA

Do UOL, em São Paulo

21/01/2016 10h01

O chefe de performance da Williams, Rob Smedley, negou qualquer possibilidade do time contar com os motores Honda em um futuro próximo. A sugestão foi feita recentemente pelo comentarista e campeão do mundo de 1996, Damon Hill. Para o inglês, trocar o fornecedor seria a única forma do time britânico lutar de igual para igual com Mercedes e Ferrari.

Tendo obtido grande parte de seu crescimento nos últimos dois anos devido à competitividade do motor Mercedes, Smedley salientou que a equipe está contente com seu equipamento.

"Antes de mais nada, estamos muito, mas muito satisfeitos com o nível de serviço e com a unidade de potência que recebemos da Mercedes, disse o engenheiro ao site F1i.com. "A Mercedes é uma fabricante extremamente profissional e nos fornece uma unidade de potência incrível", completou.

A possibilidade das equipes clientes de motores competirem no mesmo nível dos times de fábrica vem sendo questionada desde a implantação de um regulamento que torna as unidades de potência um diferencial importante de performance. Desde então, nenhuma delas conseguiu vencer uma corrida sequer. As vitórias ficaram limitadas a Mercedes e Ferrari e à Red Bull, que tinha, até o ano passado, tratamento de equipe de fábrica da Renault.

Por este motivo, a McLaren decidiu trocar a Mercedes pela Honda em 2015, também com tratamento de equipe de fábrica. Com um ano de defasagem em relação às outras montadoras, os japoneses sofreram em seu primeiro ano, mas a expectativa do time é de que a evolução seja rápida.

Fórmula 1