PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Hamilton se ofereceu para a Red Bull antes de ir para a Mercedes, diz chefe

Mark Thompson/Getty Images
Imagem: Mark Thompson/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

18/01/2016 15h28

Em setembro de 2012, Lewis Hamilton tomou uma decisão bastante criticada na época, mas que seria definitiva para uma guinada em sua carreira e a conquista dos campeonatos de 2014 e 2015, quando trocou a McLaren pela Mercedes. Porém, os planos iniciais do inglês eram bem diferentes, de acordo com o chefe da Red Bull, Christian Horner.

O dirigente revelou que o piloto estava “desesperado” para ser contratado por sua equipe.

“Ele estava deseperado para pilotar para nós”, disse Horner. “Em 2012, ele queria vir e pilotar para nós, mas não tinha jeito de acomodá-lo enquanto Sebastian [Vettel] estivesse conosco. Antes dele assinar com a Mercedes, a vontade dele era pilotar pela Red Bull.”

O time anglo-austríaco havia conquistado, com Vettel, os títulos de 2010 e 2011 e caminhava para o tricampeonato na época. Sem vaga na Red Bull, Hamilton decidiu apostar no projeto da Mercedes que, naquele momento, era coadjuvante, lutando por alguns raros pódios. Porém, com a mudança no regulamento de 2014, o time se tornou a grande potência da F-1. Para a surpresa, inclusive, de Horner.

“A McLaren tinha sido muito competitiva em 2011 e 2012 e pensei que seria melhor para nós que ele estivesse na Mercedes ao invés da McLaren, então como nós não podíamos contar com ele eu aconselhei Niki Lauda a contratá-lo para enfraquecer a McLaren - sem prever que a Mercedes se tornaria o que é hoje”, revelou o dirigente.

Fórmula 1