UOL Esporte - Copa 2006UOL Esporte - Copa 2006
UOL BUSCA

05/07/2006 - 18h15

Portugal foi mais difícil que o Brasil, diz técnico francês

Da Redação
Em São Paulo
O técnico francês Raymond Domenech afirmou, depois da vitória sobre Portugal por 1 a 0, nesta quarta-feira, que a partida diante do time de Luiz Felipe Scolari foi mais complicada que a contra o Brasil de Carlos Alberto Parreira.

AFP

Raymond Domenech comemora vitória francesa nas semifinais da Copa

"Acho que o jogo mais difícil foi o contra Portugal. Eles nos criaram mais problemas", decretou o comandante francês. "Mas são circunstâncias diferentes, contra o Brasil eram quartas, agora é semifinal, mas acho que os portugueses nos colocaram em maior dificuldade do que os brasileiros".

"Eu parabenizo o time de Portugal, que nos criou muitos problemas, nos fez sofrer até o fim. Está de parabéns, mas o jogo precisa ter um vencedor, e somos nós", filosofou o treinador.

Domenech frisou, ainda, que não quer ver comemorações até a noite deste domingo, depois da final contra a Itália - o jogo que realmente vale.

"O que conta agora é ir até o fim (do campeonato)", declarou o treinador na saída do vestiário. "Vamos ver às 23h30 do dia 9 de julho", afirmou, referindo-se ao momento em que a decisão terá acabado, no horário alemão.

Para manter o sonho do título vivo, Domenech não vê grandes segredos. Ele resume em três palavras o que vai procurar trabalhar em seu grupo nos próximos dias: "recuperação, concentração e preparação".

"Os jogadores têm que fazer (no jogo) tudo o que fizeram no último mês, para assim fazer um jogo de alta competitividade e sólido, e jogar essa final sem deixar passar nada, sem arrependimentos", complementou.

O técnico exaltou, ainda, a experiência de seu elenco. Vista como 'velha' antes do início da Copa, a seleção da França agora é chamada de experiente. "A experiência faz parte da bagagem das equipes da Copa do Mundo. Um time sem experiência uma hora ou outra se deixa levar", pontuou.

Ainda sobre jogadores mais velhos, Domenech desconversou sobre o fato de a final de domingo marcar o último jogo da carreira de Zinedine Zidane.

"Para nós, não é o último jogo de Zinedine, é a final da Copa do Mundo contra a Itália", argumentou, exaltando que um evento como o Mundial é maior que a carreira do jogador. "Aqui não é sobre a sua aposentadoria, é a Copa do Mundo".

SELEÇÕES