UOL Esporte - Copa 2006UOL Esporte - Copa 2006
UOL BUSCA

25/05/2006 - 06h42

Sem astros em tempo integral, torcida suíça adota goleiros

Daniel Tozzi e João Henrique Medice
Enviados especiais do UOL
Em Weggis (Suíça)
Ele é discreto ao extremo, avesso ao assédio dos jornalistas e frio a ponto de, em campo, não esboçar reação a defesas espetaculares ou frangos incríveis. O outro é voluntarioso, artilheiro e periodicamente se envolve em alguma polêmica. Mas esses estilos, junto dos seus respectivos currículos, fizeram dos goleiros Dida e Rogério Ceni as estrelas do treino do Brasil na manhã desta quinta-feira, em Weggis (SUI).

Flávio Flórido/FI

Dida roubou a cena no treino da seleção com a ausência dos principais craques

Desde o primeiro minuto da atividade Dida - que já defendeu o time local Lugano - foi o atleta mais celebrado pelos torcedores que, como na quarta, lotaram o estádio Thermoplan. Antes mesmo de entrar em campo, o goleiro via seu nome ser o mais gritado pelos fãs. Se limitou a responder com acenos, ao contrário de Rogério Ceni, que fez de um gandula a nova celebridade da cidade suíça.

É verdade que, quando o treino começou, os astros Ronaldinho, Ronaldo e Cafu, além de outros prestigiados na Europa, como Emerson, Edmílson e Juninho Pernambucano, nem sequer estavam em campo. O grupo começou o dia fazendo fortalecimento muscular.

Na quarta, o médico José Luiz Runco afirmou que seria normal a ausência de alguns atletas em campo - especialmente os Ronaldos e Cafu - para sessões de musculação ou até mesmo repouso.

Mas mesmo quando o sexteto entrou no gramado para se juntar ao restante do time as atenções continuaram no trio de goleiros. Enquanto os outros jogadores faziam um treino físico-técnico, Dida, Rogério Ceni e Júlio César eram aplaudidos a cada salto e defesa determinada pelo preparador Wendell Ramalho.

GANDULA GANHA FAMA

Um gandula do treino da seleção brasileira ganhou fama internacional no trabalho realizado na manhã desta quinta-feira. Kevin Walchli, de 13 anos, foi chamado por Rogério Ceni, após a movimentação, para um rápido bate-bola para atuar no gol. Ele mostrou que não conhece o goleiro reserva de Dida e, posteriormente, virou alvo dos jornalistas, deixando o treinamento da equipe de Carlos Alberto Parreira com status de entretenimento. Leia mais

O dia de estrela dos arqueiros teve sequência com Rogério Ceni. O goleiro do São Paulo, convocado para a vaga do lesionado Marcos, improvisou com Dida um torneio de cobranças de pênaltis. Apesar do talento com a bola parada, Ceni não conseguiu deixar o goleiro do Milan para trás - com uma defesa cada, o duelo acabou empatado.

O único momento no qual a atenção e aplausos dos torcedores desviaram do trio foi mesmo na entrada em campo de Ronaldo, Ronaldinho e cia. E ela aconteceram no melhor estilo playoffs da NBA, a liga norte-americana de basquete.

O primeiro a se juntar ao restante do grupo foi o capitão Cafu. Aplausos. Emerson veio em seguida. Também aplaudido. Com Ronaldo, o terceiro a entrar, foi a explosão, que teve seu ápice na seqüência, com Juninho Pernambucano, Edmílson e Ronaldinho, o "Michael Jordan" do time, entrando juntos.

No treinamento, os 16 jogadores que cumpriram a atividade integralmente no gramado fizeram um treino físico comandados pelo preparador-físico Moraci Sant'Anna. O trabalho durou cerca de 30min. Em seguida, os jogadores realizaram um treino técnico em metade do campo.

SELEÇÕES