PUBLICIDADE
Topo

Vitor Guedes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Fortaleza: jogar é preciso, viver não é preciso...

Silvio Romero abre o placar para o Fortaleza contra o Estudiantes, pela Libertadores; empate foi melhor para o time argentino - Staff Images / CONMEBOL
Silvio Romero abre o placar para o Fortaleza contra o Estudiantes, pela Libertadores; empate foi melhor para o time argentino Imagem: Staff Images / CONMEBOL
só para assinantes
Vitor Guedes

Vitor Guedes é jornalista e professor universitário pós-graduado em Português, Língua e Literatura pela UMESP, autor do livro "Paixão Corinthiana", com passagens por Jovem Pan, Lance!, Site do Corinthians, BandNews FM, Agora São Paulo, FAPSP e UNG. Com Copas do Mundo, Mundial Libertadores, Brasileiros e dezenas de Paulistas no currículo, Vitor Guedes é 1977, pai do Basílio, ZL e, atualmente, é colunista do UOL Esporte e comentarista do Baita Amigos no Bandsports

Colunista do UOL

30/06/2022 23h22Atualizada em 30/06/2022 23h22

Fortaleza 1 x 1 Estudiantes mostrou, mais uma vez, um Leão organizado, valente e empurrado por uma massa apaixonada. Os gols anotados no segundo tempo por Silvio Romero e Leandro Dias deram justiça ao placar. Como esperado desde o sorteio, a experiência e a tradição da equipe argentina pesou e o favoritismo do Estudiantes, que vai decidir a vaga em La Plata, aumentou.

No entanto, o Leão do Pici está vivo e, como tal, a sua torcida espera que Vojvoda e comandados façam de tudo para chegar na próxima quinta em condições de avançar às quartas de final.

O Fortaleza é o lanterna do Campeonato Brasileiro porque está na Libertadores ou está em dificuldade na Libertadores porque está na lanterna do Brasileirão e, pois, não pode focar 100% na competição continental?

Como a chance de o Fortaleza, que não é favorito nem sequer a passar às quartas de final, ganhar a Libertadores é irrisória e é bastante considerável a possibilidade do Leão do Pici voltar à Série B, algum crítico 100% racional dirá que a equipe deveria esquecer o mata-mata continental e mergulhar de vez na luta pela sobrevivência no Nacional.

Futebol, no entanto, e graças a Deus, não é só razão. Ele é o que é, e arrasta multidões, inclusive no Castelão, porque é apaixoante. E a apaixonada torcida do Fortaleza está tendo, pela primeira vez, a chance de ver o time que ama (e que, em outubro, completa 104 anos) na Libertadores. Não dá para passar anos falando em jogar a Libertadores, planejando, sonhando e, após, enfim, conquistar a vaga, abrir mão de lutar até o fim no torneio.

Agora, que vai custar caro, vai...

E ainda tem o Ceará, rival batido na ida da Copa do Brasil, muito bem na Sul-Americana...

Em um dos anos mais importante de sua história, quando virou xodó nacional, o Fortaleza segue lutando bravamente na Libertadores, briga essa que o aproxima da Série B. Jogar é preciso. Viver não é preciso!

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL! É nóis no UOL!

Veja:

E me siga no Twitter e no Instagram.

Quem mandou matar Marielle? E por quê?

Justiça para Dom Phillips e Bruno Pereira!