PUBLICIDADE
Topo

Vitor Guedes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

VP poupa time e Corinthians joga 2 pontos no lixo

só para assinantes
Vitor Guedes

Vitor Guedes é jornalista e professor universitário pós-graduado em Português, Língua e Literatura pela UMESP, autor do livro "Paixão Corinthiana", com passagens por Jovem Pan, Lance!, Site do Corinthians, BandNews FM, Agora São Paulo, FAPSP e UNG. Com Copas do Mundo, Mundial Libertadores, Brasileiros e dezenas de Paulistas no currículo, Vitor Guedes é 1977, pai do Basílio, ZL e, atualmente, é colunista do UOL Esporte e comentarista do Baita Amigos no Bandsports

Colunista do UOL

25/06/2022 20h56Atualizada em 25/06/2022 21h59

Vítor Pereira guardou força para a Libertadores. E, três dias após a força máxima enfiar 4 a 0 no Peixe, a formação corinthiana ficou no 0 a 0. Com os 2 pontos jogados no lixo, o vice-líder Corinthians perdeu a chance de igualar a pontuação do Palmeiras, que, neste domingo, poderá abrir cinco pontos de frente no Brasileirão.

O risco era evidente. Que o Corinthians não tem time reserva competitivo já tinha ficado evidente na derrota para o Cuiabá.

Pela cera feita desde o início do jogo, com o goleiro John se jogando no chão em toda chance, o placar foi bem recebido pelo time da Vila Belmiro.

Além dos vetados João Victor (pancada no tornozelo direito), Gil (lesão do músculo posterior da coxa direita), Maycon (lesão no adutor da coxa direita), Renato Augusto ("desconforto" na panturrilha) e Mosquito (tendinite), e de Róger Guedes, suspenso, o treinador Vítor Pereira, pensando no confronto de terça, contra o azul e "Amarilla" Boca Juniors, válido pela ida das oitavas da Libertadores, deixou no banco Fagner, Piton, Giuliano e Willian e escalou uma formação exótica: Cantillo, Du Queroz e Roni no meio-campo, o garoto Felipe no comando de ataque e a dupla de canhotas Robert e Raul na zaga.

Do pressionado lado santistas, que foi emboscado e cobrado na rodovia pela própria torcida na sexta, Bustos (que, suspenso, foi representado no banco pelo auxiliar Ochandorena) foi obrigado a escalar John no lugar do suspenso João Paulo, colocou o lateral Auro na direita na dele e voltou Lucas Braga para o ataque, barrou Lucas Pires e promoveu Felipe Jonatan na esquerda.

E o primeiro tempo mostrou que o time titular do Santos e o reserva corinthiano têm enorme dificuldade de criar e finalizar e o 0 a 0 foi auto-explicativo.

VP voltou com Giuliano e Willian nos lugares dos dois titulares que foram bem no primeiro tempo, Du Queiroz (que sentiu a perna pesada) e Mantuan. E, logo no reinício, na jogada dos "frescos", Willian achou Giuliano, que quase abriu o placar.

Na sequência, Felipe, muito mal, deu lugar a Júnior Moraes, e, Rafael Ramos e Fábio Santos cederam espaço para Fagner e Lucas Piton. As mudanças deixaram o misto frio corinthiano com mais cara de misto quente. O Santos respondeu com Bruninho, Rwan, Lucas Pires e Sandry nos lugares de Ângelo, Auro, Baptistão e Camacho.

Tudo mudou para nada mudar e ninguém mereceu vencer. Nem marcar gol.

A análise completa de Corinthians x Santos e as avaliações do técnico Vítor Pereira e dos jogadores mosqueteiros você confere na Live do Corinthians, com Ricardo Perrone e eu, no canal do UOL Esporte.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL! É nóis no UOL!

Veja:

E me siga no Twitter e no Instagram.

Quem mandou matar Marielle? E por quê?

Justiça para Dom Phillips e Bruno Pereira!